Boteco: Cinco países, cinco cervejas

por Marcelo Costa

Criada em 2011 em Santiago, no Chile, a Cerveza Artesanal Nomade faturou a Medalha de Ouro na Copa Cervezas de América 2012 com essa India Pale, uma cerveja de coloração âmbar que exibe boa formação de um creme bege de média retenção. No nariz, aroma cítrico suave e agradável sobre uma base maltada de caramelo. Há, ainda, sugestão de acidez de levedura (que lembra um pouco a Szot, bela cervejaria artesanal também de Santiago). No paladar, a textura é levemente frisante e picante (confirmando a rebeldia da levedura). O primeiro toque traz rápida doçura cítrica envolvida na sequencia por amargor médio alto, que ganha impacto com o auxilio da acidez. Dai pra frente, um pouco de caramelo, um pouco de cítrico (acerola), mais amargor (suave) e mais acidez (picante). O final é levemente amargo, sensação que o retrogosto traz de volta junto a cítrico e percepção de água com gás. Boa.

Produzida pela família Van Houtryve em 1911, a Bourgogne des Flandres já passou pelas mãos da Brouwerij Verhaeghe (em 1957), casa da Duchesse de Bourgogne, e desde o início dos anos 90 é responsabilidade da Brewery Timmermans. É uma típica Flanders Red Ale de fermentação mista resultado do blend de uma cerveja jovem com outra envelhecida por meses em barricas de carvalho. De coloração marrom translucida, a Bourgogne des Flandres exibe um creme bege de muita boa formação e permanência. No nariz, sugestão de frutas vermelhas em destaque (cereja, framboesa) com leve doçura maltada (açúcar mascavo), madeira e azedume na base. Na boca, a textura é levemente frisante com o doçura rápida no primeiro toque seguida de frutado e amargor levemente azedo. Depois, frutado delicioso, azedume suave e doçura. O final alterna doçura e frutado. No retrogosto, doçura, frutado e azedume suave. Uma delícia.

De La Coruña, na Espanha, a cervejaria Hijos de Rivera produz rótulos famosos como a Estrella Galicia e a 1906 Reserva Especial. Este segundo já ganhou uma versão Red Vintage e agora chega ao país a Black Coupage, Dunkel cuja receita une quatro maltes tostados e dois lúpulos (Nugget e Sladek). De coloração marrom translucida (um tiquinho mais densa que a Bourgogne des Flandres) com creme bege espesso de boa formação e permanência, a 1906 Black Coupage exibe um aroma suave com predomínio das notas derivadas da tosta do malte: presença de café, chocolate (amargo) e frutas escuras. Na boca, a textura é suave. O primeiro toque traz rápida doçura maltada seguida de café suave. O amargor é baixo recebendo auxilio do álcool (7.2% bem escondidos), que coloca as manguinhas de fora numa cerveja que lembra uma Malt Liquor torrada. O final é caramelado e áspero. No retrogosto, chocolate, caramelo e café. Boa.

De Düsseldorf, na Alemanha, um Alt Bier apaixonante: Uerige DoppelSticke, produzida pela primeira vez em 2005, e desde então um dos destaques da Uerige Obergärige Hausbrauerei. Na receita, três maltes (Pilsner, Caramel e Roasted) e três lúpulos (Spalt Spalter, Hallertauer Perle, Spalt Hallertauer) resultam em uma cerveja de coloração marrom turva com creme bege de média formação e baixa retenção. No nariz, bastante doçura derivada dos maltes (açúcar mascavo, caramelo, toffee), frutado intenso (ameixa, castanhas) e suave amadeirado. Na boca, a textura é levemente licorosa (com percepção dos melados 8.5% de álcool). O primeiro toque traz doçura melada seguida de amargor eficiente e alcoólico. Na sequencia, um conjunto bem agradável que une doçura frutada e melada, álcool e suave amadeirado. O final é doce e doce. No retrogosto, um pouco de licor, conhaque, caramelo e uva passa. Delícia.

De Arlandastad, na Suécia, uma Barley Wine colaborativa entre os suecos da Sigtuna Bryggus e os ingleses da Shepherd Neame que matura por seis meses, dois deles em velhos barris de Single-Barrel Bourbon Blanton’s. Na receita, cinco maltes (Pale Ale, Roasted, CaraBohemian, Vienna e Brown) e quatro lúpulos (Magnum, Fuggle, Challenger e East Kent Goldings) resultam numa cerveja turva de coloração marrom e creme bege de baixa formação e rápida dispersão. No aroma, equilíbrio entre doçura caramelada dos maltes, amadeirado e álcool com toque de Bourbon. Há ainda sugestão de frutas escuras (ameixa, uva passa) e de vinho do Porto. Na boca, a textura é licorosa e o primeiro toque traz doçura melada envolta em Bourbon. O amargor é mais alcoólico que lupulado e depois traz melaço, madeira, Bourbon, frutas escuras e, no finalzinho, vinho do Porto. O retrogosto traz calor, caramelo, leve Bourbon e madeira. Excelente.

Balanço
Boa surpresa vinda de Santiago (na mala do Bruno Capelas – valeu pelo presente!), a Nomade India Pale não cumpre a expectativa de uma IPA, pois está mais para uma boa APA com a mesma cepa de levedura arisca que a Szot (também chilena) utiliza em suas receitas. Gostei e fiquei curioso pelas outras deles. A Bourgogne des Flandres é uma delícia. Simples assim. É uma Flanders Red Ale menos arisca, mas ainda assim muito agradável. Recomendo. Já a 1906 Black Coupage me soa a melhor das três que já provei da casa, ainda que o álcool excessivo sugira uma Dunkel Malt Liquor. Não é uma maravilha, mas também não é ruim. A maravilhosa Uerige DoppelSticke (presente do Guilherme Tosi) já estava de guarda a, no mínimo, quatro anos (venceu em agosto de 2013), e continua uma delícia na aproximação do estilo Alt Bier com o Barley Wine britânico. Uma garrafa para beber devagar e sempre. O mesmo lema deve ser seguido com essa bela Barley Wine colaborativa entre Sigtuna Bryggus e Shepherd Neame, com presença significativa de Bourbon, uma cacetada de 10% de álcool mais amadeirado e melaço de caramelo. Uma garrafa para beber por duas horas. Partiu.

Nomade India Pale
– Estilo: American Pale Ale
– Nacionalidade: Chile
– Graduação alcoólica: 5,9%
– Nota: 3,31/5

Bourgogne des Flandres
– Estilo: Flanders Red Ale
– Nacionalidade: Bélgica
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,51/5

1906 Black Coupage
– Estilo: Dunkel
– Nacionalidade: Espanha
– Graduação alcoólica: 7,2%
– Nota: 2,92/5

Uerige DoppelSticke
– Estilo: Alt Bier
– Nacionalidade: Alemanha
– Graduação alcoólica: 8,5%
– Nota: 3,87/5

Sigtuna Barley Wine
– Estilo: Barley Wine
– Nacionalidade: Suécia
– Graduação alcoólica: 10%
– Nota: 3,90/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *