De Curitiba, três novas Way Beer

way2.jpg

por Marcelo Costa

21ª cerveja da curitibana Way Beer a passar por este espaço, a Eat Me! é uma Witbier com adição de semente de coentro e casca de laranja, parceria da cervejaria com a renomada chef Manu Buffara. De coloração dourada com creme branco e espesso de boa formação e média alta permanência, a Way Eat Me! apresenta um tímido aroma cítrico (laranja lima e limão) com leve base de especiarias e de notas herbais. Na boca, a textura é leve. O primeiro toque traz suavidade maltada com leve dulçor seguida de notas cítricas e especiarias. O amargor é baixo, mas presente. Há uma perceptível valorização da levedura, que se destaca acrescentando acidez suave e amplificando a sugestão de especiarias sem diminuir a ação do trigo, da casca de laranja e do lúpulo. O conjunto é bastante suave com final seco e um tiquinho amargo. No retrogosto, cítrico, trigo e especiarias bastante discretos. Esperava bem mais.

way1.jpg

A decepção causada pela Eat Me! felizmente não se repete na 22ª cerveja da casa, a American India Pale Ale feita especialmente para o clube Have A Nice Beer. De coloração entre o dourado e o alaranjado com creme branco de ótima formação e permanência, a Way American India Pale Ale exibe um aroma deliciosamente frutado e cítrico (maracujá, abacaxi, laranja e pêssego suave), que se desprende com facilidade. Há, ainda, leve sugestão herbal (grama e pinho), floral agradável e doçura de mel bem discreta. Na boca, a textura é suavemente picante. O primeiro toque traz cítrico acompanhado de amargor, potente, ainda que não agressivo. Com as portas abertas, o herbal (pinho) mostra mais intensidade equivalendo-se as deliciosas notas cítricas. O toque especial é uma suave doçura de mel no final, apaixonante. No retrogosto, amargor cítrico e herbal persistente intercalado com mel. Excelente.

way3.jpg

Fechando com chave de ouro, a Way Imperial Mangue Stout 2015 une três maltes (Munich, Special B e Caraaroma) e dois lúpulos (Magnum e Summit), fermenta durante 30 dias e o resultado final é um blend envelhecido em barricas de Bourbon e Rum por seis meses, que segue refermentando na garrafa alcançando 10.7% de álcool e 84 IBU. Na arte da garrafa, caranguejos e uma lembrança de Chico Science: “Antes do almoço deixa pensando melhor”. De coloração preta com traços marrons no fundo da taça e creme espesso de alta formação e eterna permanência, a Way Imperial Mangue Stout 2015 apresenta um aroma com bastante presença de malte torrado (café em abundância), leve sugestão de frutas vermelhas (tanto quanto de geleia), madeira e doçura (chocolate puxado para o amargo). O álcool é perceptível, mas não assusta. Na boca, a textura é quase licorosa (lembrando melaço de rapadura). O primeiro toque reforça a sugestão de melaço envolta em álcool e leve sugestão de café. O amargor (potencializado pelo álcool e pelo malte torrado) é potente, mas não foge do esperado. Dai em diante, conforme a cerveja aquece na taça, a torra fica em segundo plano e o melaço envolto em álcool assume a frente com leve traço de madeira e frutas vermelhas. O final é adocicado e alcoólico. No retrogosto, caramelo, rapadura, álcool suave, café e frutas vermelhas. Absolutamente intrigante.

way4.jpg

Balanço
Notadamente inspirada na Estrella Damm Inedit, parceria certeira entre a cervejaria espanhola Estrella com o chef Ferran Adrià, a curitibana Eat Me! não repete o sucesso de sua fonte, mas pode combinar com pratos leves, melhorando a cerveja e o prato. No entanto, isolada, é uma Witbier pálida e sem graça. O mesmo não pode ser dito da Way American India Pale Ale, muito pelo contrário: esta cerveja especial da turma de Curitiba está entre as melhores coisas que eles já fizeram. É mais suave do que pancadas norte-americanas tradicionais do estilo, mas, ainda assim, é uma grande cerveja que deveria frequentar a linha oficial da casa. Fechando o trio com a melhor cerveja que já bebi da Way (e a melhor nacional que bebi neste ano): Imperial Mangue Stout 2015, com tiragem limitada de 1700 garrafas. Com preço entre R$ 60 e R$ 70 em pontos de venda, a Way Imperial Mangue Stout 2015 é uma belíssima cerveja, principalmente pela mudança radical com ela na taça: até uns 5 graus, o malte torrado toma conta do conjunto. Conforme ela vai aquecendo e se aproximando de sua temperatura ideal (entre 9° e 12°), um melaço envolto em álcool com leve sugestão de frutas vermelhas e madeira se destaca. Simplesmente excelente.

way5.jpg

Way Eat Me!
– Estilo: Witbier
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4,6%
– Nota: 2,89/5
Preço em média: R$ 13,60 por 310 ml

Way American India Pale Ale
– Estilo: American India Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6,5%
– Nota: 3,88/5
Preço em média: R$ 15,90 por 310 ml

Way Imperial Mangue Stout
– Estilo: Russian Imperial Stout
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 10,7%
– Nota: 4,40/5
Preço em média: R$ 65 por 375 ml

way6.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)
– Sobre todas as cervejas da Way Beer neste blog (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.