Boteco: as cervejas da Kaapse Brouwers

kaapse.jpg

por Marcelo Costa

Surgida em 2014 e já presente na lista do Ratebeer das melhores novas micro-cervejarias do mundo, a holandesa Kaapse Brouwers, de Roterdã, tem entre seus sócios John Brus e Menno Olivier, a dupla da De Molen. Não à toa, as primeiras cervejas da casa a circular pelo mundo foram produzidas na fábrica da De Molen (como as três abaixo), mas agora a casa já começa a produzir em fábrica própria, a maioria ainda para o bar da casa, mas alguns rótulos já estão sendo engarrafados. No site “Páginas de Cerveja Holandesa” (Dutch Beer Pages), o autor saúda conta: “Revoluções acontecem em velocidades diferentes. Isso fica claro quando se olha para ascensão de cerveja artesanal, na Holanda. Começou em Utrecht seguido de Amsterdam e nos últimos dois anos mais cidades aderiram ao movimento: Eindhoven, Nijmegen, Groningen, Haarlem… Roterdã, a segunda maior cidade, foi ficando para trás. Mas, como muitas outras cidades, Roterdã também está encontrando o caminho com novas cervejarias e cafés. O aumento mais expressivo veio em 2014, quando o Kaapse Brouwers abriu as portas como parte da Fenix Food Factory” (continue lendo). Abaixo, falo de três Kaapse que chegaram ao Brasil.

kaapse3.jpg

A Kaapse Brouwers Karel é uma American Bitter cuja receita une malte Caramel e Pilsen com lúpulos Sladek, Amarillo e Columbus mais lúpulos Citra e Mosaic no dry-hopping. De coloração âmbar caramelada turva (que lembra bastante as cervejas da De Molen) com creme levemente bege de ótima formação e média alta permanência, a Kaapse Brouwers Karel apresenta um aroma notadamente (e deliciosamente) cítrico (abacaxi e maracujá) com leve presença de doçura caramelada, floral e, na retaguarda, leve resina. Na boca, textura entre o suave e o frisante. O primeiro toque traz rápida doçura caramelada logo atropelada por amargor cítrico e acético, que soa mais sossegado do que os 46 de IBU que o rótulo adianta. Na sequencia, bastante cítrico (maracujá à frente e abacaxi), leve doçura caramelada e acidez suave. O final é cítrico enquanto o retrogosto traz mais maracujá e leve caramelo. Muito boa.

kaapse2.jpg

A Kaapse Brouwers BEA é uma Black IPA cuja receita une maltes Pilsen, Chocolate, Caramel e Roasted com centeio e lúpulos Sladek, Chinook, Amarillo e Columbus para amargor e mais Chinook e Amarillo no dry hopping aromático. O resultado é uma cerveja de coloração preta, bastante escura, com creme denso bege de ótima formação e média alta permanência. No nariz, um interessante choque entre frutado cítrico (abacaxi e maracujá) com café e chocolate amargo. Ainda é possível perceber herbal (um leve toque de pinho). Na boca, a textura é picante. O primeiro toque traz rápida doçura achocolatada logo atropelada por amargor, tanto cítrico e herbal derivados da levedura, quanto torrado derivado do malte, alcançando 73 de IBU bastante presentes. O conjunto exibe bastante cítrico e leve herbal (ambos adoráveis) sobre uma base de chocolate amargo. O final é de amargor torrado. No retrogosto, cítrico (maracujá), herbal (pinho) e chocolate amargo suave. Muito boa.

kaapse1.jpg

Fechando o trio com a Kaapse Brouwers Harrie, a Saison da casa numa receita que traz maltes Pilsen e Cara Red, trigo e lúpulos Sladek. De coloração dourada com leve turbidez e creme branco de ótima formação e permanência, a Kaapse Brouwers Harrie apresenta um aroma com intensas notas herbais (capim-limão, capim, eucalipto, gengibre), leve frutado cítrico (limão e laranja passada), feno, trigo, suave azedinho e acidez perceptível. Na boca, a textura é picante. O primeiro toque traz herbal suave logo coberto por amargor, pontual (53 de IBU), mas bem representado. O conjunto que se abre na sequencia continua se referenciando no herbal (capim-limão e eucalipto) com presença cítrica reduzida (e focada em limão), mas presente, leve trigo e azedinho permanente. O final é menos amargo do que se supõe, com herbal presente. No retrogosto, herbal, cítrico, limão, capim e refrescancia. Uma delícia.

kaapse4.jpg

Balanço
Abrindo o trio dos holandeses com pé direito: a Kaapse Brouwers Karel não tem nada de bitter, se aproxima mais de American Pale Ale lupulada, mas é uma bela cerveja com bastante lúpulo cítrico. Agradável e refrescante. Aumentando o nível, a Kaapse Brouwers BEA é uma belíssima Black IPA cuja lupulagem não se intimida com a força do malte torrado, e até se sobrepõe no conjunto resultado em uma belíssima cerveja de amargor e sabor pronunciados. Fechando o trio com a Kaapse Brouwers Harrie, uma Saison bastante herbal e levemente cítrica, mas muito saborosa.

Kaapse Brouwers Karel
– Produto: American Pale Ale
– Nacionalidade: Holanda
– Graduação alcoólica: 4,9%
– Nota: 3,51/5
– Preço pago: R$ 7,90 – 330 ml

Kaapse Brouwers BEA
– Produto: Black IPA
– Nacionalidade: Holanda
– Graduação alcoólica: 5,5%
– Nota: 3,55/5
– Preço pago: R$ 7,90 – 330 ml

Kaapse Brouwers Harrie
– Produto: Belgian Strong Ale
– Nacionalidade: Holanda
– Graduação alcoólica: 6%
– Nota: 3,61/5
– Preço pago: R$ 19,90 – 330 ml

kaapse6.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.