Boteco: As cervejas da Dead Frog

deadfrog.jpg

por Marcelo Costa

Criada em Aldergrove, uma cidade de pouco mais de 12 mil habitantes na fronteira do estado de British Columbia, no Canadá, com o estado de Washington, nos Estados Unidos (a menos de 50 minutos de Vancouver e 1h50 de Seattle), a Dead Frog Brewery lançou suas quatro primeiras cervejas em fevereiro de 2006 e seguindo fazendo fama até o meio de 2013, quando decidiu recriar toda a linha de cervejas da casa então (que continha rótulos como Mandarin Orange Ale, Maple Cream Ale e Sahti, entre muitos outros) com novas receitas (da antiga linha só permaneceu a The Classic Nut Brown Ale) e nova arte. A história toda, bem bacana, é contada no The Province. Abaixo escrevo de três cervejas das quatro que chegaram ao Brasil .

fearless.jpg

A Dead Frog The Fearless é uma IPA cuja receita une quatro maltes (Cara 30, 2 Row, Biscuit, Special B) e quatro lúpulos (Cascade, Columbus, Galaxy e Zythus) alcançando o IBU 77 com apenas 6.5% de álcool. De coloração âmbar caramelada (com leve turbidez) e creme bege espesso de boa formação e média alta permanência, a Dead Frog The Fearless apresenta um aroma bastante lupulado, com notas herbais (pinho) e cítricas (maracujá e casca de laranja) em destaque, mas é possível perceber a doçura do malte na base. Há ainda percepção de resina e de condimentação (pimenta do reino e canela). Na boca, a textura é suave. O primeiro toque traz doçura de mel e caramelo, bastante perceptível. Na sequencia, sossegadamente, um caminhão de amargor (que soa metade dos 77 de IBU) cítrico e herbal domina o paladar, mas some rapidamente deixando o caminho livre para sugestões de maracujá, casca de laranja e resina. O final é cítrico e picante. No retrogosto, leve resina, maracujá e mel.

vienna.jpg

A Dead Frog The Session é uma Vienna Lager que junta lúpulos alemães e norte-americanos (Crystal, German Select, Hallertau e Northern Brewer) com três tipos de malte (Cara 30, Cara 60 e Vienna) para tentar se diferenciar das duas cervejas do estilo mais vendidas nos EUA: as ótimas Brooklyn Lager e Samuel Adams Boston Lager. O resultado é uma cerveja âmbar com leve presença de turbidez e creme bege espesso de boa formação e média alta permanência. No nariz, o aroma, presença assertiva de malte tostado destacando a presença de caramelo e toffee. Os lúpulos acrescentam uma pegada herbal, que antecipa mais ataque do que uma Vienna tradicional. Na boca, a textura é levemente picante. O primeiro toque traz doçura caramelada seguida de amargor herbal caprichado (são 30 de IBU), abrindo caminho para um conjunto que traz caramel, toffee, bastante herbal e leve sugestão cítrica. O final é seco e herbal. No retrogosto, leve cítrico, herbal marcante e caramelo. Boa.

thebold.jpg

Fechando o trio com a Dead Frog The Bold, uma Belgian Pale Ale que tenta aproximar EUA e Bélgica numa receita que utiliza cinco maltes (Belgian Aromatic, Cara 30, Chocolate, Pale Ale, Special B) e dois lúpulos norte-americanos (Cascade e Columbus). De coloração âmbar turva bem próxima a de cerveja de abadia belga com creme espesso bege de ótima formação e média alta permanência, a Dead Frog The Bold apresenta um aroma com bastante doçura (caramelo, mel e açúcar mascavo), leve frutado cítrico sem tanta profundidade além de toffee e um toque resinoso e condimentado (canela). Na boca, textura suave. O primeiro toque traz doçura caramelada rápida e amargor marcante na sequencia (apenas 27 de IBU, mas muito bem distribuídos). Na sequencia, a lupulagem (cítrica) pula um pouco a frente do malte, que ainda assim consegue deixar rastros de doçura pelo caminho. O final é amarguinho enquanto o retrogosto traz canela, caramelo e leve amargor cítrico. Bem boa.

fearless1.jpg

Balanço
Uma bela replica da escola californiana, a Dead Frog The Fearless mantém o padrão de uma boa American IPA amarga, cítrica e resinosa, mas sem esconder o malte. Simples, correta e bastante eficiente. A Dead Frog The Session segue a linha de eficiência da anterior colocando um pouco mais de tempero numa Vienna Lager tradicional. Boa. Fechando o trio, a Dead Frog The Bold choca escolas bem diferentes (EUA e Bélgica), e a sensação é de o que lúpulo (EUA) acaba ganhando mais destaque que o malte e a levedura (Bélgica), mas é uma experiência interessante que merece ser provada.

Dead Frog The Fearless
– Estilo: India Pale Ale
– Nacionalidade: Canadá
– Graduação alcoólica: 6,5%
– Nota: 3,38/5
– Preço no Brasil: R$ 14 – 341 ml

Dead Frog The Session
– Estilo: Vienna Lager
– Nacionalidade: Canadá
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,04/5
– Preço no Brasil: R$ 14 – 341 ml

Dead Frog The Bold
– Estilo: Belgian Pale Ale
– Nacionalidade: Canadá
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,26/5
– Preço no Brasil: R$ 19 – 341 ml

deadfrtogs.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

One thought on “Boteco: As cervejas da Dead Frog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.