Boteco: Dos EUA, Jolly Pumpkin Artisan Ales

jolly1.jpg

por Marcelo Costa

A Jolly Pumpkin Artisan Ales é uma cervejaria fundada em 2004 em Dexter, no Michigan, uma cidade de menos de 5 mil habitantes a cerca de uma hora de Detroit (que abriga um dos três bares da casa; as outras duas cidades são Ann Arbor e Traverse City), três horas de Chicago e quatro de Toronto, no Canadá. A fama da casa advém de sua produção sempre passar por barricas de madeira com leveduras selvagens, o que cria receitas inspiradas nos estilos belgas Farmhouse Ale e Flanders Red Ale com uma leve lembrança de Sour Ale. A linha tradicional da casa trabalha com 13 rótulos, todos em garrafas de 750 ml, mas há uma extensa produção sazonal, como a La Roja Grand Reserve (blend de lotes mais antigos de La Roja que foram envelhecidos em antigos barris de bourbon ou de vinho) e Madrugada Obscura Grand Reserve (envelhecida em barricas por 18 meses), entre outras. Abaixo, três dos quatro rótulos que foram trazidos ao Brasil neste ano.

jolly2.jpg

Abrindo o trio da Jolly Pumpkin com a La Roja, uma Sour que segue a tradição Flanders Red Ale e nasce do blend de barris de dois a dez meses. De coloração âmbar levemente turva com creme bege de baixa formação e média retenção, a Jolly Pumpkin La Roja apresenta um aroma típico de uma boa Sour: azedume e avinagrado à frente intimidando neófitos, doçura de mel e caramelo distantes, na base, além de sugestão frutada (tanto vermelhas quanto escuras). Acidez e condimentação perceptíveis, mas não distinguíveis. Há, ainda, suave amadeirado. Na boca, a textura é frisante e rebelde. O primeiro toque traz azedume e avinagrado, que, junto a acidez, reforçam a barreira de amargor, abrindo o caminho para que frutado e doçura lutem por espaço com azedume, vinagre e acidez, o que rende um conjunto vigoroso. O final é azedo. No retrogosto agridoce, doçura e vinagre. Perfeita para o estilo.

jolly3.jpg

Inicialmente sazonal, mas agora produzida o ano todo, a Jolly Pumpkin Bam Noire é uma Dark (sem ser tão “dark” assim) Farmhouse Ale (com as patas de um pé de cavalo no estilo Sour). De coloração âmbar amarronzada com creme bege de ótima formação e longa permanência, a Bam Noire apresenta um aroma de personalidade, arisco, com presença de frutas vermelhas e escuras (framboesa, maçã, amora), azedume identificável, percepção de levedura selvagem, madeira e vinho. Na boca, textura levemente frisante / picante. O primeiro toque traz rápida doçura de frutas vermelhas atropelada na metade do segundo seguinte por forte azedume e leve acidez, que fazem a função de amargor (parece mais que os 24 de IBU oficiais), abrindo o trecho seguinte para um conjunto arisco e mais azedo que aromático, que remete a couro, madeira molhada e velhos barris de vinho. Há percepção de frutas vermelhas. No final, leve azedo enquanto o retrogosto traz azedinho, canela, café e framboesa. Interessante.

jolly4.jpg

Fechando o trio, a Jolly Pumpkin Oro de Calabaza segue a tradição das cervejas de guarda franco-belgas com direito a refermentação e envelhecimento em barricas de carvalho. De bela coloração amarela com creme branco abundante de ótima formação e longa permanência (deixando traços por todos os lados da taça), a Oro de Calabaza apresenta um aroma de… Farmhouse Ale: frutas cítricas (limão, uva, abacaxi e banana), floral, herbal (ervas, grama e feno), especiarias (semente de cravo e pimenta do reino), acidez de levedura selvagem e madeira, tudo na medida certa, sem se sobrepor, valorizando uma execução impecável. Na boca, a textura é frisante. O primeiro toque é cítrico, herbal e floral, mostrando logo de cara todo o potencial da Oro de Calabaza. O amargor é caprichado (30 de IBU) e traz consigo uma leve acidez. Dai pra frente, cítrico marcante (uva, maçã verde e limão), acidez, herbal, floral, especiarias e quase nada de madeira. O final é frutado cítrico e condimentado enquanto o retrogosto traz algo de limão, uva e cravo. Belíssima.

jolly51.jpg

Balanço
Flanders Red Ale caprichada, a Jolly Pumpkin La Roja consegue soar arisca e provocante ao mesmo tempo em que deixa um rastro conhecido (de doçura e frutas escuras) segurando o bebedor. Muito, muito boa. A Jolly Pumpkin Bam Noire, por sua vez, segui a escrita da La Roja com bastante rusticidade: é uma Dark Farmhouse Ale com jeitinho de Sour (o azedume é bem presente) que combina bem com as notas de frutas vermelhas e a doçura. Fechando o trio com, para mim, a melhor: Jolly Pumpkin Oro de Calabaza, uma Farmhouse Ale tradicional com frutas cítricas, floral, herbal, especiarias, acidez de levedura selvagem e madeira, tudo na medida. Apaixonante.

jolly6.jpg

Jolly Pumpkin La Roja
– Estilo: American Wild Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 7,2%
– Nota: 3,61/5
– Preço no Brasil: R$ 40 – 750 ml

Jolly Pumpkin Bam Noire
– Estilo: Farmhouse Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 4,3%
– Nota: 3,51/5
– Preço no Brasil: R$ 28 – 750 ml

Jolly Pumpkin Oro de Calabaza
– Estilo: Farmhouse Ale
– Nacionalidade: EUA
– Graduação alcoólica: 8%
– Nota: 3,92/5
– Preço no Brasil: R$ 28 – 750 ml

jolly7.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.