Boteco EUA: três cervejas ciganas da Stillwater

por Marcelo Costa

A Stillwater Artisinal é a cervejaria cigana de Brian Strumke, um ex-DJ de Techno que rapidamente se destacou no cenário internacional de homebrewing produzindo receitas caseiras em Baltimore, Maryland, nos Estados Unidos. Após vencer várias competições e produzir durante cinco anos cervejas em seu próprio quintal, Brian decidiu, em 2010, tornar a Stillwater uma realidade viajando pelo mundo e colaborando com várias fábricas de cerveja em lotes pequenos e autênticos. De lá cá foram produzidas mais de 150 cervejas em aproximadamente 20 cervejarias (o Brasil está incluso com a Stillwater Clássica, bela receita produzida pela gaúcha Tupiniquim). As três cervejas abaixo foram produzidas pela Two Roads Brewing Company, de Stratford, em Connecticut (cervejaria responsável também por várias Evil Twin). Vamos a elas.

O release no site oficial é inspirador: “Stillwater Classique é a desconstrução pós-moderna da American Lager industrial feita com ingredientes impertinentes como milho e arroz mais malte Pilsner, levedura Farmhouse Ale e lotes de lúpulos americanos old-school”. O resultado é uma belíssima Saison, que até já ganhou uma elogiada versão brasileira produzida pela Tupiniquim com adição de manga e uso de levedura selvagem. De coloração amarelo palha com creme branco de excelente formação e longa permanência, a Classique exibe um aroma espetacular, com quilos de notas cítricas (laranja, maracujá, abacaxi, limão e kiwi), acidez intensa, cereais e aquele toque de feno e fazenda que toda (TODA) Saison obrigatoriamente deveria ter. A textura é picante e o primeiro toque traz doçura cítrica seguida de acidez e amargor pontuais. O conjunto explora bem a união de cítrico, doçura, acidez, cereais e herbal numa cerveja altamente refrescante que finaliza de maneira cítrica, seca e amarguinha. No retrogosto, mais cítrico, leve adstringência e muita refrescancia. Puro amor.

Segunda da fila, a Stillwater Debutante é uma Biere de Garde cuja receita combina centeio e espelta (trigo vermelho) com uma mistura de urze, madressilva e hissopo (uma variedade de manjerona). De coloração âmbar e creme branco de boa formação e média alta permanência, a Debutante exibe um aroma fantástico com muito floral, suave doçura caramelada, acidez (típica de levedura), frutas cítricas (toranja, maçã verde e acerola), condimentado picante (pimenta do reino) e amadeirado quase imperceptível, mas presente. Na boca, textura entre o suave e o picante com bastante doçura caramelada e frutada no primeiro toque. Na sequencia, acidez derivada de levedura em meio ao amargor pontual, frutas cítricas (toranja), caramelo, algo herbal e suavemente resinoso além de condimentação. O final é frutado, picante, melado e acético enquanto o retrogosto traz algo de frutas vermelhas, acidez e mel. Uma delícia!

Fechando o trio com a Stillwater Existent, uma experiência da turma de Baltimore que decidiu produzir uma Saison com maltes tostados e torrados. De coloração marrom bem escura (que pode ser confundida com preto, mas basta olhar no fundo da taça) com creme bege de alta formação e longa permanência, a Existent (que traz Nietzsche no rótulo) exibe um aroma que, num primeiro momento, valoriza as notas derivadas do malte torrado (café), mas logo começa a se abrir trazendo frutado (ameixa), doçura (bananada) e cravo, e depois algo próximo a cappuccino. Na boca, a textura é picante. O primeiro toque traz doçura frutada com amargor de torra e leve acético na sequencia abrindo o caminho prum conjunto mais vibrante do que o aroma antecipa: há doçura (bananada), frutado (ameixa), café, aveia e cravo. O final é picante e suavemente frutado, sugestão que retorna no retrogosto com caramelo e acidez. Boa.

Balanço
Quem diz que não é possível fazer uma boa cerveja com milho e arroz? A questão, claro, não são os ingredientes, mas sua importância na receita, o que a Stillwater capricha na Classique, uma Saison viciante, extremamente aromática, com amargor caprichado e muito cítrico. E eu ainda acho que a Stillwater Classica brasileira (com levedura Brett e polpa de manga) é ainda melhor. A Stillwater Debutante impressiona ainda mais com um aroma cativante e um paladar caprichadíssimo. Fechando o trio, a Black Saison da Stillwater me soou melhor que a da Green Flash Frienship Brew e inferior a da St. Feuillien Black Saison: o malte escuro acaba se destaca demais e acaba tirando boa parte das qualidades que fazer do estilo Farmhouse Ale um dos mais interessantes do mundo. Ainda assim, uma bela cerveja.

Stillwater Classique
– Produto: Saison
– Nacionalidade: Estados Unidos
– Graduação alcoólica: 4,5%
– Nota: 3,80/5
– Preço no Brasil: R$ 17 – 355 ml

Stillwater Debutante
– Produto: Biere de Garde
– Nacionalidade: Estados Unidos
– Graduação alcoólica: 6,4%
– Nota: 3,85/5
– Preço no Brasil: R$ 16 – 355 ml

Stillwater Existent
– Produto: Black Saison
– Nacionalidade: Estados Unidos
– Graduação alcoólica: 7,4%
– Nota: 3,34/5
– Preço no Brasil: R$ 17 – 355 ml

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)
– Leia sobre outras cervejas da Stillwater (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.