Boteco Bélgica: Vedett, Leute e 3 Fonteinen

por Marcelo Costa

Famosa por sua witbier, a Vedett (da família Moortgat, responsável ainda pela Duvel e pela Maredsouls) ganha uma irmã levemente mais lupulada, e é bom deixar bem claro: a Vedett IPA é uma India Pale Ale de pegada europeia, não norte-americana (ou seja, não é um chute de amargor como as da terra de Obama). De coloração dourada (com leve turbidez a frio) e creme branco de ótima formação e permanência, a Vedett IPA exibe um aroma bastante caramelado, com presença herbal assertiva, frutado cítrico (pêssego, manga e laranja) e suave sugestão de resina. Na boca, ela é bastante saborosa, com rápida doçura caramelada na entrada seguida de herbal, frutado e amargor comportado. O cítrico é mais presente (há, inclusive, leve lembrança de maracujá) formando com herbal e resina um conjunto bastante agradável. O final é cítrico, maltado e herbal. No retrogosto, suave cítrico, caramelo e refrescancia. Boa no que se propõe.

Do ótimo catálogo da Brouwerij Van Steenberge, de Ertveld, vale destacar a Piraat, a Bornem, a Augustijn e, desde 2012, a Celis White, com receita do criador da Hoegaarden, Pierre Celis. Essa Leute Bokbier é uma Belgian Strong Ale (inspirada no estilo Doppelbock) produzida pela primeira vez em 1927, ficou um tempo fora do mercado, e retornou às prateleiras em 1997. De coloração âmbar amarronzada e creme bege de boa formação e permanência, a Leute Bokbier apresenta um aroma em que a doçura caramelada se envolve muito bem com a sugestão frutada (ameixa), cítrica e herbal. A boa surpresa estende-se ao paladar, bastante agradável na junção de doçura caramelada (presente no primeiro toque), amargor pontual, leve toque metálico mais frutado cítrico. O final traz algo de torra (caramelo e, muito suavemente, café) e cítrico. No final, caramelo, baunilha e leve frutado (ameixa). Gostei.

De Beersel, no Brabante Flamengo belga, surge uma lenda, a 3 Fonteinen foi fundada em 1887 e hoje é uma das raras cervejarias (ao lado da Cantillon) que ainda produz Lambic e Gueuze seguindo o método tradicional (100% de fermentação espontânea, envelhecido em barris de carvalho, sem adoçantes artificiais ou outros aditivos). Engarrafada em 2013 (com validade até 2023!), essa 3 Fonteinen Golden Doesjel foi maturada em carvalho num blend de lambics de um, dois, três e quatro anos (25% de cada). De coloração dourada com creme branco ralo e praticamente inexistente, a Golden Doesjel apresenta um aroma impressionantemente suave. Ainda assim é possível perceber a acidez da levedura selvagem Brett, um toque cítrico (casca de laranja mofada e limão azedo), condimentação (pimenta do reino) e um leve toque mineral além de madeira e couro. Na boca, o paladar segue o que o aroma adianta: uma doçura melada e suave amacia levemente a potência acética e avinagrada. Há frutado cítrico (leve pêssego e tangerina), salgado, azedume, condimentação comportada e sugestão de queijo e curral. O final é salgado, azedo (mas não tão forte), acético e cítrico (tangerina). No retrogosto, notas cítricas, curral, laranja mofada e azedume suave. Muito boa!

Balanço
A ideia da Moortgat com a Vedett IPA é oferecer aos fãs da Vedett Witbier uma cerveja um pouquinho mais potente, mas não exagerada. Desta forma, os belgas seguem a escola inglesa de India Pale Ale, e hopheads que forem atrás de amargor e lupulagem podem se decepcionar, mas, ainda assim, a Vedett IPA é uma receita bem agradável, ótima para fazer bebedores iniciantes “passarem de fase”. Já a Leute Bokbier foi uma surpresa bastante agradável, com um conjunto harmonioso (caramelo, ameixa, cítrico, leve café) resultando em uma cerveja muito boa. Fechando o trio com uma lendária 3 Fonteinen (que veio na mala de Estocolmo: lá custou R$ 30 e aqui é possível encontra-la por R$ 100) produzida em edição especial em 2013, que junta lambics de quatro safras diferentes. A surpresa foi que o ataque me soou mais suave do que outras que bebi (da Cantillon, por exemplo), mantendo as principais características do estilo, mas soando mais suave e macia. Está tudo ali: o azedume, o salgado, o acético, o avinagrado, mas de uma forma mais… comportada. Gostei bastante.

Vedett Extra Ordinary IPA
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Bélgica
– Graduação alcoólica: 6%
– Nota: 3,21/5
– Preço pago em São Paulo: R$ 19 – 330 ml

Leute Bokbier
– Produto: Belgian Strong Ale
– Nacionalidade: Bélgica
– Graduação alcoólica: 7,5%
– Nota: 3,37/5
– Preço pago em São Paulo: R$ 14 – 330 ml

3 Fonteinen Golden Doesjel
– Produto: Gueuze Lambic
– Nacionalidade: Bélgica
– Graduação alcoólica: 6%
– Nota: 3,92/5
– Preço pago em Estocolmo: R$ 30 – 375 ml

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *