Boteco: da Holanda, Emelisse (parte 2)

emelisse1.jpg

por Marcelo Costa

Abrindo o segundo passeio pelas cervejas da Emelisse com a Herfstbock, uma mistura holandesa de Dunkler Bock com Brown Ale cuja receita junta maltes Caramel e Munique com lúpulos Spalter e Saaz. De coloração marrom escura e creme bege de boa formação e permanência, a Emelisse Herfstbock exibe um aroma que valoriza o malte, com doçura que remete a caramelo açúcar mascavo. Há leve sugestão frutada (nozes, uva passa e amêndoas) e um toque amadeirado. Na boca, doçura caramelada no primeiro toque e amargor suave na sequencia, que consegue equilibrar o conjunto. Há reforço de frutas escuras (além de nozes, avelã e uva passa se destaca uma sugestão interessante de jabuticaba) e leve sugestão amadeirada e, bem distante, de vinho do Porto. O final junta doçura caramelada, amargor comportado e leve toque frutado. No retrogosto, um rastro suave de calda de açúcar queimado numa cerveja interessante.

emelisse3.jpg

A Emelisse Witbier é um interessante experimento dos holandeses, que tentaram aqui ficar no meio do caminho entre uma Hefeweizen alemã e uma Witbier belga – surpreendentemente, não há adição extra na receita (o que é bacana, já que o bichinho da condimentação tem picado muitos cervejeiros, muito mais pelo exótico e/ou vendável do que pelo sabor). No caso desta Emelisse Witbier, o líquido é do coloração âmbar alaranjado (mais “alemão”) com creme branco de boa formação e permanência. No aroma, um interessante choque entre notas cítricas, com laranja em destaque, com a tradicional sugestão de banana de uma Weiss. Há sugestão de cravo, leve cheiro de mofo, caramelo e acidez pinicando o nariz. Na boca, uma provocação interessante com laranja e banana juntas mais trigo, caramelo, cravo e madeira. O final é bastante cítrico, levemente ácido e, também, caramelado. No retrogosto, caramelo, acidez e laranja. Gostei.

emelisse2.jpg

Segundo os holandeses, muitas vezes uma Double IPA não basta, é preciso mais: por isso eles criaram uma TIPA com três vezes mais lúpulo (Chinook, Simcoe e Warrior) que o normal. O resultado, extremo, alcança os 115 de IBU e os 10% de álcool. Porrada, mas eles orientam no site: “Pegue uma cadeira, senta e desfruta”. De coloração âmbar caramelada com creme levemente alaranjado de ótima formação e média alta duração, a Emelisse TIPA apresenta aroma intenso, mas, ainda assim, equilibrado entre a proposta frutada cítrica (manga, damasco, lichia e maracujá) e a doçura caramelada. Completam o perfil aromático pinho, resina e picância alcoólica. Na boca, uma impecável confusão de sabores: doçura caramelada, percepção frutada cítrica (manga, damasco, pêssego e maracujá), pinho, álcool e amargor extremamente potente se revezam embriagando o bebedor de felicidade. O final é maltado, amargo, alcoólico, cítrico e resinoso. No retrogosto, leve adstringência, amargor prolongado, caramelo distante, cítrico e resina. Mais do que uma cerveja, essa TIPA é um evento.

emelisse4.jpg

Balanço
Abrindo com a Emelisse Herfstbock, uma Brown Ale delicada e interessante, que mais me chamou a atenção por sugerir presença de… jabuticaba (embora não tenha adição da fruta). Ainda assim, delícia. A Emelisse Witbier é uma cerveja de fronteira, mais precisamente entre a Alemanha e a Bélgica. Imagine misturar Hoegaarden com Weihenstephaner Hefe e, talvez, o resultado seja esse, com um pouco das características de cada estilo. Achei bem provocante (e com leve amadeirado e toque de mofo que valorizam o conjunto). Boa. Extrema, mas carinhosa, a Emelisse TIPA consegue soar intensamente amarga e alcoólica, e ainda assim mostrar doçura, cítrico e herbal. Uma delicia exagerada para seguir o conselho da cervejaria: pegar a cadeira, sentar e desfrutar.

Emelisse Herfstbock
– Produto: Dunkler Bock
– Nacionalidade: Holanda
– Graduação alcoólica: 6,5%
– Nota: 3,27/5
Preço pago em São Paulo: R$ 14,90 – 330 ml

Emelisse Witbier
– Produto: Witbier
– Nacionalidade: Holanda
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,46/5
Preço pago em São Paulo: R$ 19,90 – 330 ml

Emelisse TIPA
– Produto: Imperial India Pale Ale
– Nacionalidade: Holanda
– Graduação alcoólica: 10%
– Nota: 4,02/5
Preço pago em São Paulo: R$ 19,90 – 330 ml

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)
– Leia sobre outras cervejas da Emelisse (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *