Cinco bandas portuguesas

por Marcelo Costa

Música não tem fronteiras, ou ao não menos não deveria ter. Ainda assim, numa porcentagem chutada que qualquer universidade norte-americana poderia comprovar como real, mais de 95% da música executada no país é cantada prioritariamente em português e inglês. Soa estranho perceber que, com uma vizinhança fronteiriça tão vasta, nosso cotidiano é praticamente vazio de artistas de língua espanhola tanto quanto a falta de conectividade do público brasileiro com artistas portugueses. Nos dois casos, a realidade é inversa: latinos e portugueses conhecem mais de música brasileira do que nós conhecemos deles.

No Scream & Yell, já há alguns anos, estamos tentando aprofundar o olhar sobre essas duas cenas (latina e portuguesa) através de reportagens de Leonardo Vinhas, Bruno Capelas e Pedro Salgado, e nos deparamos com um cenário rico e repleto de grandes artistas. Chegamos, inclusive, a disponibilizar para download gratuito dois EPs com novos artistas brasileiros gravando portugueses e vice-versa (conheça o Projeto Visto), numa tentativa de diminuir a distância que nos separa. A seleção abaixo, com cinco artistas de destaque da nova cena portuguesa, é mais um aceno para mostrar que, sim, música não tem fronteira. Divirta-se.

DEOLINDA
Formado em Lisboa em 2006, o quarteto Deolinda é um dos nomes de maior destaque na nova música portuguesa, mérito das composições inteligentes de Pedro da Silva Martins (com letras que valorizam um olhar crítico e poético) e da interpretação cativante da vocalista Ana Bacalhau. Eles já lançaram três álbuns de estúdio (“Canção ao Lado”, de 2008; “Dois Selos e Um Carimbo”, de 2010; e “Mundo Pequenino”, de 2013) e alguns definem a sonoridade da banda como fado pop. O vídeo acima é registro do elogiado show da banda em São Paulo, em agosto de 2013.

LINDA MARTINI
O Linda Martini é outra boa banda de Lisboa com mais de 10 anos de estrada. Como definiu a baixista Cláudia Guerreiro em entrevista ao Scream & Yell, eles fazem “rock com muito noise, às vezes pesado, às vezes calmo, cantado em português, mas pouco”. Não à toa, a banda tem uma canção chamada “Juventude Sônica” no repertório. Esta delicada coletânea “Baú” (2014) surgiu encartada na boa revista portuguesa Blitz, que pode ser encontrada em várias bancas de São Paulo (R$ 15). A Linda Martini ainda tem outros três álbuns: procure “Casa Ocupada” (2010) e “Turbo Lento” (2013).

OS PONTOS NEGROS
De Queluz, cidade a cerca de 20 minutos de Lisboa, surge o quarteto Os Pontos Negros, grupo que chamou a atenção com um boa álbum de estreia, “Magnífico Material Inútil” (2007), confirmou a boa expectativa em um segundo disco de pegada mais pop, “Pequeno Almoço Continental” (2010, e alcançou a maioridade gravando o terceiro disco, “Soba Lobi” (2012), nos estúdios Abbey Road (cenas da gravação ilustram o clipe da canção “Tudo Floresce”) – o disco pode ser baixado gratuitamente aqui. No EP “Projeto Visto 2”, disponibilizado pelo Scream & Yell em dezembro, Nevilton gravou uma versão de “Senna”, d’Os Pontos Negros.

B FACHADA
B Fachada é o nome artístico de Bernardo Fachada, cantautor e multi-instrumentista prolifico de Cascais que, desde 2007, lançou nada menos que seis EPs e oito discos (praticamente todos eles disponíveis no Bandcamp do artista: bfachada.bandcamp.com). É considerado por muitos como o grande nome da nova cena autoral tuga, algo que álbuns como “B Fachada É Pra Meninos” (2010), “Criôlo” (2012) e “Deus, Pátria e Família” (de 2010 e com uma única faixa de 20 minutos) corroboram.

CAPICUA
Ana Matos é uma rapper da cidade do Porto que lançou em 2014 seu segundo álbum, “Sereia Louca”, um caprichado CD duplo dividido em “Cabeça” (CD 1) e “Cauda” (CD 2). O primeiro CD compila 10 músicas novas com instrumentais ao estilo do hip-hop habitual e no segundo disco estão seis versões acústicas de trabalhos anteriores. “Sereia Louca” conta com participações do guitarrista Pedro Geraldes (Linda Martini) e da fadista Gisela João. Seus trabalhos anteriores (dois EPs, uma mixtape e o álbum de estreia, “Capicua”, de 2012) estão disponíveis para download gratuito no site da rapper: capicua.pt/musica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.