Boteco: Duas cervejas e uma Ginger britânicas

por Marcelo Costa

Nascida em 1799 e sediada em Bury St Edmunds, Suffolk, a Greene King é uma das maiores cervejarias da Grã Bretanha. Um de seus carros chefes, a Greene King IPA é uma tradicional Bitter inglesa, com amargor comportado baseado nos lúpulos Challenger e First Gold e boa presença de malte (Pale Ale e Cristal). Sua graduação alcoólica diz muito sobre como um britânico vê cerveja: são 3.6% para se beber em longas jornadas, e voltar pra casa sem trançar as pernas. De coloração âmbar caramelada e creme levemente bege de boa formação e permanência, a Greene King IPA apresenta um aroma decididamente maltado (caramelo em destaque) com sugestão de biscoitos, e leve presença herbal e cítrica. Na boca, rápida doçura caramelada no primeiro toque, logo amaciada pelo amargor dos lúpulos, que como numa English IPA, não são intensos, mas cumulativos, aumentando conforme a garrafa esvazia. Há boa presença de malte (sugerindo, bem de longe, conhaque) e suaves notas cítricas e herbais. O final é maltado e suavemente amargo e herbal. No retrogosto, leve amargor e pinho. Boa.

Surgida em Edimburgo, na Escócia em 1801, a Ginger Beer é uma bebida alcoólica, mas não é uma cerveja. Ao menos consideram assim Ratebeer e Beer Advocate, alegando que a receita (que une raiz de gengibre, água, açúcar e levedura de champanhe) não utiliza nem malte e nem lúpulo, dois ingredientes usuais de uma cerveja (ainda que o lúpulo possa ser trocado por um gruit). Essa Crabbie’s Alcoholic Ginger Beer veio de Londres na mala de um amigo, que me presenteou, e, para efeito de cadastro, vou analisa-la como cerveja, lembrando que ela é uma interessante intrusa na lista. De coloração entre o amarelo e o âmbar e com creme branco de boa formação e permanência, a Crabbie’s Ginger Beer apresenta um aroma dominado pelo gengibre, sem espaço para qualquer outra coisa. Na boca, textura levemente licorosa e dualidade no primeiro toque: amargor e picancia de gengibre e doçura intensa de açúcar, com efervescência típica de champanhe. O gengibre arranha a garganta, principalmente no final, enquanto o retrogosto é marcado por condimentação (gengibre) e doçura. Interessante.

Fechando o trio britânico com a Saltaire, cervejaria surgida em Yorkshire em 2005, e que de lá pra cá produziu mais de 40 receitas e já ganhou mais de 70 prêmios. A cerveja mais vendida da casa é a Saltaire Blonde, e a mais premiada é exatamente esta Triple Chocoholic Stout, duas vezes medalhas de ouro no World Beer Awards. A receita traz malte de chocolate, xarope de chocolate e chocolate de verdade. De coloração preta com faixas marrons nas bordas e creme bege de boa formação e permanência, a Saltaire Triple Chocoholic Stout exibe um aroma intensamente achocolatado, puxando para chocolate ao leite com leve sugestão de alcaçuz e de baunilha. Na boca, porém, o chocolate ao leite adiantado pelo aroma transforma-se em chocolate amargo, com auxilio do malte torrado e do lúpulo, equilibrando de forma agradável o conjunto, que ainda traz algo de baunilha e alcaçuz, e (com tanto chocolate na receita) não enjoa. O final traz chocolate (ao leite e amargo) enquanto o retrogosto sugere… Toddynho.

Balanço
Um dos equívocos comuns entre muitos bebedores iniciantes é beber IPAs inglesas esperando a sensação de uma American IPA: a decepção é enorme, mas é causada mais por desconhecimento do bebedor que pela qualidade de uma English IPA, um estilo produzido há séculos, e que os norte-americanos remodelaram ao seu gosto (extremo), criando um novo estilo, e tornando-o icônico (american way of life). Essa Greene King IPA é um bom exemplo: ainda que não se compare a bela Fuller’s India Pale Ale, é uma cerveja agradável, com amargor pontual e muito distante das extremas norte-americanas. É, como boa parte das cervejas inglesas, para se beber e beber e beber. A Crabbie’s Alcoholic Ginger Beer é responsável por uma pequena confusão: apesar de ter Beer no nome, não é uma cerveja, mas uma bebida alcoólica com base de gengibre. Há (boas) cervejas com adição de gengibre (Baladin Nora, Hitachino Nest Real Ginger Ale, Blandford Flyer, Doppio Malto Zingibeer e a brasileira Sauber Beer Ginger), mas essa Crabbie’s Ginger Beer não traz malte nem lúpulo, e sim raiz de gengibre, água, açúcar e levedura de champanhe. É uma bebida refrescante com 4% de álcool mais próxima de uma sidra do que de uma cerveja, mas vale seu registro. Fechando o trio, a Saltaire Triple Chocoholic Stout surpreendeu com tanto equilíbrio para uma cerveja com tanto chocolate (maltado, em xarope e em barra). Não tira o posto de Chocolate Stout preferida da Young’s Double Chocolate Stout e nem da Rogue Double Chocolate Stout, mas é bem gostosa.

Greene King IPA
– Produto: Bitter
– Nacionalidade: Inglaterra
– Graduação alcoólica: 3,6%
– Nota: 3,13/5
– Preço pago em São Paulo: R$ 17 – 500 ml

Crabbie’s Alcoholic Ginger Beer
– Produto: Ginger
– Nacionalidade: Escócia
– Graduação alcoólica: 4%
– Nota: –/5
– Presente

Saltaire Triple Chocoholic Stout
– Produto: Stout
– Nacionalidade: Inglaterra
– Graduação alcoólica: 4,8%
– Nota: 3,47/5
– Preço pago em São Paulo: R$ 19 – 500 ml

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.