Boteco: Desbravando a BrewDog (Parte 5)

por Marcelo Costa

Em 2011, a BrewDog estreou um projeto de single hops (cervejas com apenas um tipo de lúpulo) em que a base de quatro cervejas era uma mesma receita de India Pale Ale. Na oportunidade, os escoceses escolheram os lúpulos Bramling X, Citra, Nelson Sauvin e Sorachi Ace. O projeto foi um sucesso, e os escoceses decidiram oficializar o kit no calendário anual da cervejaria: em 2012, o pacote IPA IS DEAD trazia a mesma receita de 2011 com quatro lúpulos diferentes: Motueka, Challenger, Galaxy e HBC. Em 2013, outros quatro lúpulos: Dana, El Dorado, Waimea e Goldings. E em 2014 os lúpulos da vez foram Kohatu, Comet, EXP 366 e Amarillo. Sobre estes últimos escrevo abaixo (cada garrafa custou R$ 11,90 em São Paulo).

O Kohatu é um lúpulo neozelandês que traz em seu DNA tanto uma característica tropical (com frutado cítrico) e um herbal próximo da escola britânica. A BrewDog IPA Is Dead Kohatu apresenta uma cor âmbar caramelada com turbidez mediana, creme branco de boa formação e média alta permanência. No aroma, a surpresa de encontrar mais presença de notas adocicadas derivadas do malte do que do lúpulo, que bate ponto com forte toque herbal e leve frutado cítrico (laranja). Há leve sugestão de pimenta rosa. Na boca, seguindo o padrão do perfil aromático, o primeiro toque traz doçura caramelada logo cortada pela pegada cítrica, suave, remetendo a laranja, tangerina e maracujá. Ainda é possível sentir um leve toque herbal, remetendo tanto a grama quanto a pinho. O final traz doçura caramelada com frutado cítrico (mais laranja que maracujá) enquanto o retrogosto reforça o caráter cítrico do conjunto.

O Comet é um lúpulo que surgiu nos Estados Unidos nos anos 70 e deu uma sumida, mas vem sendo recuperado em outros países, como nessa versão alemã presente na receita da BrewDog IPA Is Dead Comet, uma cerveja que apresenta uma coloração âmbar alaranjada com creme branco de boa formação e média permanência. No nariz, mais equilíbrio que na versão anterior, com interessantes notas frutadas cítricas (laranja, abacaxi e grapefruit), delicadas notas herbais (pinho bem suave), doçura de caramelo e sugestão de resina. No paladar, o primeiro toque traz resina (de forma surpreendentemente agradável), cítrico (destaque para grapefruit) e doçura de caramelo, tudo muito bem combinado. O conjunto segue equilibrado e delicioso enquanto o amargor aparece de forma assertiva, mas não agressiva. O final é cítrico e resinoso. No retrogosto, grapefruit, caramelo, amargor suave e resina. Boa surpresa.

O lúpulo norte-americano HBC Experimental 366 é novíssimo, tanto que não tem nome e segue no mercado com seu nome de teste. A BrewDog IPA Is Dead EXP 366 é uma cerveja de coloração mais para o amarelo alaranjado do que para o âmbar (como as duas anteriores), creme branco de boa formação e média permanência. No nariz, a sugestão de resina aumenta em relação a versão com o lúpulo Comet, e toma a dianteira na atenção do bebedor, mas é possível perceber acento cítrico (maracujá, abacaxi, damasco e grapefruit) e herbal (pinho) também intensos além de leve doçura de caramelo. Na boca, a resina surge em primeiro plano acompanhada de amargor, bastante assertivo e com maior duração do que nas outras do pacote. O conjunto traz cítrico bastante agradável, resina intensa (mas não agressiva) e herbal. O final é resinoso, amargo e cítrico. No retrogosto, maracujá, amargor e resina. A mais American IPA do conjunto.

Fechando o quarteto IPA is Dead 2014 da Brewdog, um lúpulo bastante difundido (e amado por bebedores) nos últimos anos, o norte-americano Amarillo, cultivado unicamente no estado de Washington. A BrewDog IPA Is Dead Amarillo apresenta uma coloração âmbar caramelada com leve turbidez, mais creme branco de boa formação e permanência. No nariz, as notas frutadas cítricas deliciosas derivadas do lúpulo (manga, maracujá, abacaxi, grapefruit, mamão e pêssego) mais um toque caprichado de resina (que engrandece o perfil aromático) e de doçura de caramelo. Há, ainda, leve percepção de álcool. Na boca, um conjunto equilibrado desde o primeiro toque, com doçura de caramelo, frutado cítrico (maracujá, grapefruit e manga dominando), amargor ponderado, resina e até álcool, todos juntos construindo uma boa cerveja. O final é levemente alcoólico, amargo, adocicado e cítrico. No retrogosto, frutado (manga e maracujá), leve amargor e sugestão de resina. Campeã.

Balanço
Primeira do kit IPA Is Dead 2014, a BrewDog Kohatu decepcionou por ter um perfil pouco provocativo. Há influencia clara da lupulagem (com cítrico e herbal suaves) e pouco amargor numa IPA que poderia passar por uma Amber Ale frutada. Já a versão com o lúpulo norte-americano (aqui numa variante alemã) Comet foi uma boa surpresa, combinando bastante com a receita da Brewdog IPA is Dead. Uma cerveja bastante saborosa. Já a BrewDog IPA Is Dead EXP 366 é a que mais parece uma American IPA do conjunto, com bastante resina, notas cítricas, herbais e leve caramelo. Boa, mas mais comum. Para o final, um lúpulo já bastante conhecido da turma, que leva a medalha de ouro dos dois kits que experimentei (2012 e 2014): Amarillo, que combina perfeitamente com o conjunto da IPA is Dead (ou seja, você experimenta oito cervejas e gosta mais daquela que você já conhecia…). Uma delícia.

BrewDog IPA Is Dead Kohatu
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Escócia
– Graduação alcoólica: 7,2%
– Nota: 3,20/5

BrewDog IPA Is Dead Comet
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Escócia
– Graduação alcoólica: 7,2%
– Nota: 3,47/5

BrewDog IPA Is Dead EXP 366
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Escócia
– Graduação alcoólica: 7,2%
– Nota: 3,42/5

BrewDog IPA Is Dead Amarillo
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Escócia
– Graduação alcoólica: 7,2%
– Nota: 3,56/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *