Boteco: Duvel Tripel Hop 2013 e 2014

por Marcelo Costa

Sucesso da cervejaria belga Moortgat, a Duvel ganhou uma versão lupulada em 2007, cuja produção esgotou em três dias. A experiência foi repetida em 2012 com um terceiro lúpulo diferente ao lado do tcheco Saaz e do esloveno Styrian Golding, ambos usados na Duvel tradicional: em 2007 foi o lúpulo norte-americano Amarillo; em 2012, outro lúpulo norte-americano, Citra; em 2013 foi a vez do lúpulo japonês Sorachi Ace e, em 2014, a Duvel Tripel Hop chegou ao mercado acrescida do lúpulo Mosaic (EUA). O lúpulo tem tripla função numa cerveja: é um conservante natural (seu principal atributo) tanto quanto imprime aroma e sabor (amargor incluso) no conjunto. Porém, as qualidades de aroma e amargor costumam perder força com o tempo, por isso o estilo IPA é sempre melhor na torneira: quanto mais fresca a cerveja for, mais o lúpulo estará presente. Ainda assim, a partir de agora, de ano a ano, compararei a Duvel Tripel Hop do ano corrente com edições anteriores (de 2013 para frente até… 2019) para ver quais diferenças e semelhanças surgem da experiência.

A Duvel Tripel Hop 2013 tem como lúpulo “convidado” o japonês Sorachi Ace, desenvolvido em Hokkaido, no Japão, pela Sapporo Breweries (como resultado de uma combinação dos lúpulos Brewer’s Gold e Saaz) desde o final de 1970, mas popularizado na América apenas a partir de 2006, e depois no resto do mundo. Costuma valorizar o cítrico (puxado para limão) nas receitas, e não é diferente nessa edição da Duvel Tripel Hop, uma cerveja de coloração dourada e creme branco majestoso, de excelente formação e longa permanência. No nariz, ainda que seja uma versão de um ano atrás (validade 10/2015), o lúpulo reina forte com muito floral, cítrico e herbal se desprendendo em notas que remetem a hortelã, grama, alecrim, levedura e limão. No paladar, a secura tradicional da Duvel se destaca em um conjunto que valoriza o amargor, que a acidez da levedura em segundo plano, mas algo de adocicado se junta à hortelã, frutas cítricas (maracujá e limão) e malte, que balanceiam o belíssimo conjunto. O final é seco e amargo, e o retrogosto (amargo) interminável. Brilhante.

A Duvel Tripel Hop 2014 traz como lúpulo extra o norte-americano Mosaic, desenvolvido pela Hop Breeding Company. Derivado do lúpulo Simcoe, o Mosaic começou a ser comercializado em 2012 e é bastante valorizado por combinar notas cítricas, florais e herbais. Na taça, a Duvel Tripel Hop 2014 parece exibir um amarelo um tiquinho diferente da versão 2013: o que lá parece amarelo dourado aqui se aproxima do amarelo palha. O creme, no entanto, segue majestoso: excelente formação e longa permanência. No nariz, o aroma é absolutamente espetacular: há herbal (pinho e ervas), floral e cítrico (maracujá, lima e abacaxi) e algo que remete a banana (e bananada) e pêssego em compota. A levedura insere condimentação (pimenta do reino e cravo). Na boca, o primeiro toque se aproxima da sensação da versão 2013 (secura e amargor), mas logo surge algo herbal mostrando novidade. O álcool também está aparentemente mais presente (ainda que sejam os mesmos 9.5%). O final traz amargor, cítrico, secura e álcool. No retrogosto, pinho, álcool e muita felicidade.

Balanço
Sou fascinado pela Duvel tradicional, e é incrível como os belgas levaram além a experiência da receita com essa versão Tripel Hop. Não experimentei a edição de 2007, com Amarillo, mas a com lúpulo Citra (2012) estava sensacional. A versão 2013 mantém o nível lá em cima com a secura da receita original combinando perfeitamente com os traços cítricos (limão) do lúpulo japônes Sorachi Ace. A memória afetiva diz que o Citra se saia um tiquinho melhor, e terei que conviver com isso (já que não tenho uma garrafa dela agora pra comparar in loco), mas a Sorachi Ace é espetacular. A versão 2014, com lúpulo norte-americano Mosaic, promove uma interessante diversidade: bebidas no mesmo dia, a versão 2013 perde no aroma, mais intenso e apaixonante na 2014, mas ganha no sabor, mais completo na 2013. O lúpulo na 2014 parece ainda bastante ativo e toma pra si muito da atenção enquanto na 2013 ele parece mais bem integrado ao conjunto.

Duvel Trupel Hop 2013 e 2014
– Produto: Belgian Golden Strong Ale
– Nacionalidade: Bélgica
– Graduação alcoólica: 9,5%
– Nota: 5/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.