Boteco: Cinco latões de cerveja gringos

por Marcelo Costa

Produzida pela primeira vez em 1979 em Oxfordshire, a Old Speckled Hen tornou-se um ícone britânico com o passar das décadas – e seu status permaneceu crescente após a compra da Morland pela Greene King, em 2000. Sua receita une maltes Pipkin Pale e Crystal Malt, açúcar, lúpulo Challenger para amargor e Goldings e Challenger para aroma mais levedura própria da Morland. De coloração âmbar caramelada com leve avermelhado, a Old Speckled Hen exibe um creme de bela formação e longa permanência. No nariz, o aroma maravilhoso das bitters inglesas com muito maltado se desprendendo em notas adocicadas que remetem a caramelo mais notas florais derivadas da lupulagem. Na boca, o primeiro toque traz caramelo e uma pontada de amargor, bem suave, que equilibra o conjunto para que o caramelo mais o floral e o frutado do lúpulo formem um conjunto brilhantemente agradável. O final é maltado e levemente amargo enquanto o retrogosto traz caramelo, bala toffee e o desejo de outro gole.

De Oxfordshire para Tadcaster, atual casa da Newcastle Brown Ale desde que um consórcio entre Heineken e Carlsberg comprou a cervejaria Scottish & Newcastle em 2008. Produzida pela primeira vez em 1927 (após três anos de testes), a Newcastle Brown Ale exibe uma coloração âmbar escura com creme bege de boa formação e tempo de permanência. No nariz, apenas malte de caramelo tostado bastante suave, mas facilmente perceptível. Na boca, a entrada é bastante adocicada com caramelo, mas um amargor atuante entra em cena e equilibra o conjunto, que parece mais atraente no paladar do que no aroma, ainda que seja necessária dedicação para aprofundar-se no sabor: há caramelo e toffee derivados da tosta do malte, leves notas frutadas, açúcar queimado e sensação de alcaçuz numa cerveja que termina maltada e levemente amarga e retorna trazendo frutas escuras e malte tostado. Agradável.

Apesar da Wexford Irish Style Crème Ale carregar o nome irlandês, ela na verdade é produzida em Suffolk, na Inglaterra, pela Greene King (o site oficial, porém, avisa que os maltes e os lúpulos da receita são todos irlandeses). Seu diferencial (o mesmo da Guinness) é que uma bombinha de nitrogênio gasifica a cerveja somente na hora da abertura da lata, elevando o nível do creme e mantendo-o presente perfeitamente até o final da taça. A coloração é um âmbar caramelado bastante típico das cervejas britânicas. No nariz, muito caramelo derivado do malte tostado se sobrepondo ao lúpulo, bastante tímido, mas presente. Na boca, a entrada traz caramelo de malte evidente, que é combatido pelo lúpulo com um amargor caprichado, típico de bitters da ilha, e o conjunto se resume a isso: caramelo (leve toffee e, com boa vontade, frutas escuras) de malte mais amargor de lúpulo. Ainda assim, é uma boa cerveja que finaliza com caramelo e amargor. No retrogosto, mais caramelo e um amargor longo.

Da Inglaterra para a Polônia com uma Premium Lager da Browar Van Pur, empresa que nasceu em 1989 como distribuidora de cervejas, e em 1993 passou a produzir seus próprios rótulos. Hoje a Browar Van Pur tem sede em Varsóvia e opera cinco fábricas no país (Jędrzejów, Koszalin, Łomża, Rakszawa e Zabrze) utilizando, em suas receitas, lúpulo polonês (da região de Lubelszczyzna) e levedura bávara (da Weihenstephan). A Van Pur Premium Lager é o carro chefe da cervejaria e exibe uma coloração dourada com creme branco de ótima formação e longa permanência. No nariz, as notas clássicas das (boas) receitas do estilo exibe um elogiável equilíbrio entre malte e lúpulo (com sugestão suave de caramelo e trigo e um leve toque floral). Na boca, a entrada é suavemente caramelada e o amargor subsequente é pontual e agradável. O final é mais maltado que amargo enquanto o retrogosto traz refrescancia. Bem boa para o estilo.

Para encerrar essa série europeia de cervejas de lata, um ícone: Guinness Draught, que não só é um símbolo da Irlanda para o mundo (dentro de casa, porém, ela enfrenta um páreo duro com a ótima Murphy’s Draught Irish Stout), mas também do estilo Stout. Produzida desde 1759, a Guinness mantém uma receita que une malte irlandês (Pale Ale), cevada torrada e em flocos, lúpulo Goldings, levedura e água de Dublin. De coloração preta e com uma portentosa espuma bege (auxiliada pela bombinha e nitrogênio na lata, que busca simular o efeito da torneira), a Guinness Draught exibe um aroma impressionantemente delicado com notas derivadas da torra do malte (café em primeiro plano e chocolate amargo na sequencia). Na boca, a leveza surpreende: torrefação dando as cartas (bastante café, leve chocolate amargo), mas sem exagero, e amargor comportado, mas eficiente. O final junta amargor e café, que retornam no retrogosto pedindo outra (e mais outra, e mais outra, e mais outra).

Balanço
Um clássico inglês, a Old Speckled Hen é uma Extra Special Bitter deliciosa, com presença maltada agradável e lupulagem caprichada participando do conjunto (tanto no aroma quanto no sabor) de uma cerveja que, dificilmente, se encerra numa lata de 500 ml. Pode descer outra. Já a Newcastle Brown Ale é um hit na Inglaterra a ponto de centenas de cervejeiros postarem na web receitas alternativas que copiam este ícone britânico. Ou seja, é uma cerveja popular, mas de boa qualidade. Perde para brown ales mais trabalhadas, mas dão um banho em todas as cervejas mainstream nacionais. A Wexford Irish Style Crème Ale é uma cerveja quase simplória, mas, ainda assim, interessante: (mais) malte (qu)e lúpulo, sem invencionices. Desce bem. A polonesa Van Pur Premium Lager foi uma boa surpresa e se estivesse no grupo de 10 pale lagers gringas anterior iria brigar por um lugar no podium com a Estrella Galica (ficando atrás apenas de Heineken e Stella). Ou seja, bem bom. Já a Guinness Draught é um ícone, e o que dizer de ícones? Bem, essa taça foi comprada na StoreHouse da cervejaria, em Dublin, o que também rendeu um diploma por ter “tirado o pint perfeito”. É uma grande cerveja, mas reforço um duelo interno do país: prefiro a Murphy’s Irish Stout. Ih…

Old Speckled Hen
– Produto: Extra Special Bitter
– Nacionalidade: Inglaterra
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 3,51/5
– Preço: R$ 12,30 – 500 ml

Newcastle Brown Ale
– Produto: Brown Ale
– Nacionalidade: Inglaterra
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 2,72/5
– Preço: R$ 14,30 – 500 ml

Wexford Irish Style Crème Ale
– Produto: Cream Ale
– Nacionalidade: Inglaterra
– Graduação alcoólica: 4,8%
– Nota: 2,93/5
– Preço: R$ 11,50 – 440 ml

Van Pur Premium Lager
– Produto: Premium American Lager
– Nacionalidade: Polônia
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 2,45/5
– Preço: R$ 7 – 500 ml

Guinness Draught
– Produto: Stout
– Nacionalidade: Irlanda
– Graduação alcoólica: 4,7%
– Nota: 3,51/5
– Preço: R$ 9,50 – 440 ml

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.