Boteco: Brouwerij De Molen (Parte 4)

por Marcelo Costa

Começando o quarto passeio pelas cervejas holandesas da De Molen com a experimental Rye IPA, uma receita base – centeio, aveia, maltes Pale Barley e Cristal mais lúpulo Premiant para amargor – cuja alteração acontece apenas no dry-hopping: já havia escrito sobre a versão com Cascade-Amarillo e agora é a vez da De Molen Rye IPA com dry-hopping de lúpulo Legacy. De coloração âmbar turva com espuma levemente bege, de ótima formação e permanência, a Rye IPA Legacy destaca um aroma intenso com notas cítricas (laranja) e herbais (pinho, grama e chá mate) disputando espaço com o malte, que bate ponto com resina intensa e leve caramelo. Álcool e levedura também participam do conjunto olfativo acrescentando condimentação e forte acidez. Na boca, leve decepção: amargor intenso (41 de IBU) com a levedura rebelde acrescentando acidez e o malte distribuindo notas resinosas. Há pouco frutado para uma IPA de tendência norte-americana (um pouco de manga, maracujá e abacaxi bem escondidos), que termina amarga, ácida e resinosa, e retorna com acidez, picância e mais resina.

A De Molen Brood & Spelen também é uma Rye IPA, mas não entra na linha da anterior porque os ingredientes mudam aqui: centeio, aveia, trigo, maltes Pale Ale e Cara Barley mais lúpulo Sladek para amargor e amarillo, chinook e citra no dry hopping. De coloração âmbar escura e turva, a De Molen Brood & Spelen exibiu creme de baixa formação e permanência (e são “apenas” 7.1% de álcool, perceptíveis, o que sugere perda de carbonatação – esse exemplar foi envasado em julho de 2013). No aroma, notas adocicadas remetendo a mel, caramelo (intenso) e bala toffee dominam o perfil, que ainda abre espaço para notas cítricas sem muita profundidade. Há ainda resina e leve floral. Na boca, o primeiro toque traz doçura rápida de caramelo, que logo é atropelada pelo amargor cítrico do lúpulo, comportado, mas presente. O caramelado retorna junto a sugestão cítrica (laranja e maracujá) e segue até o final, mais amargo que adocicado (mas sem exageros). No retrogosto, amargor cítrico, resina (sem incomodar como na De Molen Rye IPA Legacy) e leve adstringência.

Fechando o trio com uma De Molen Zwart & Wit (Preta e Branca), uma Dark IPA de 8.4% de álcool cuja receita une aveia, malte Caramelo, Pilsen e Roasted Barley com lúpulos Chinook para amargor e Nelson Sauvin, amarillo, chinook e cascade no dry hopping. De coloração preta com feixes marrons sob a luz e creme bege de ótima formação e permanência, a De Molen Zwart & Wit destaca um aroma que valoriza tanto a aveia quanto o malte torrado em notas deliciosas que remetem a café, caramelo, chocolate, baunilha, aveia, cappuccino e café com leite. Ainda é possível perceber leves notas florais, herbais (um pouco de pinho) e frutas escuras (ameixa). Na boca, a doçura do caramelo e chocolate é rápida e atropelada pelo amargor tanto de lúpulo quanto de malte torrado e do álcool. O conjunto, no entanto, reprisa o que é adiantado no aroma com chocolate, ameixa, caramelo, baunilha e aveia recebendo um toque cítrico (laranja e maracujá entorpecidos por café). O final é cappuccino (aveia) com amargor cítrico e leve álcool enquanto o retrogosto traz amargor de malte torrado. Muito boa.

Balanço
Das 11 De Molen que escrevi, esta Rye IPA Legacy é a mais fraca. O que há de provocante na versão Rye IPA Cascade-Amarillo aqui é decepção. Se na primeira, as notas cítricas de Cascade-Amarillo servem pra contrabalancear a maluquice de misturar centeio, aveia e maltes numa IPA turbinada, aqui, sozinho (e com 15 meses de janela, o que faz com que o lúpulo perca parte de sua força), o Legacy não consegue acrescentar personalidade, e a Rye IPA se transforma em uma American IPA tradicional, extrema, amarga, resinosa e sem muita graça. Já esta De Molen Brood & Spelen (Pão e Jogos), que também é uma Rye IPA, exibiu perda de carbonatação, o que abaixou a influência dos lúpulos e aumentou o poder do malte (e do álcool) a ponto dela lembrar bastante uma Amber Ale. O resultado foi satisfatório e agradável, melhor que a anterior, mas não chega aos pés da belíssima De Molen Zwart & Wit, uma Black IPA de responsa, que ainda que não traga tanto cítrico quanto se espera (essa garrafa era a mais nova das três: agosto de 2013), conquista pela combinação de aveia, maltes e lúpulos. Uma delícia.

De Molen Rye IPA Legacy
– Produto: Rye India Pale Ale
– Nacionalidade: Holanda
– Graduação alcoólica: 6,6%
– Nota: 2,60/5
– Preço pago: R$ 19 – 375 ml

De Molen Brood & Spelen
– Produto: Rye India Pale Ale
– Nacionalidade: Holanda
– Graduação alcoólica: 7,1%
– Nota: 3,30/5
– Preço pago: R$ 11 – 375 ml

De Molen Zwart & Wit
– Produto: Dark India Pale Ale
– Nacionalidade: Holanda
– Graduação alcoólica: 8,4%
– Nota: 3,66/5
– Preço pago: R$ 11 – 375 ml

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas da De Molen (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *