Boteco: St. Feuillien, Green Flash e a Black Saison

por Marcelo Costa

No mundo moderno, repleto de micro cervejarias, estão cada vez mais comuns as cervejas colaborativas, receitas desenvolvidas em conjunto por dois ou mais mestres cervejeiros de lugares diferentes na busca por algo novo. A Frienship Brew Black Saison é o encontro de duas importantes escolas cervejeiras: os belgas, responsáveis por receitas alcoólicas e frutadas, e os norte-americanos, que se desenvolveram ao recriar de forma altamente pessoal (e muitas vezes radical) as receitas básicas das quatro escolas clássicas (que além da Bélgica compreende Inglaterra, Alemanha e República Tcheca). Sediada em San Diego, na Califórnia, a Green Flash Brewing Company nasceu em 2002 sob coordenação do casal Mike e Lisa Hinkley, dois entusiastas de cervejas artesanais. A St. Feuillien Brewery surgiu em Le Roeulx, no território valão belga, em 1873, e tem no comando a quarta geração da família Friart. Juntos, Green Flash e St. Feuillien decidiram criar uma Black Saison Farmhouse Ale, e produzir cada um a sua. O resultado você lê abaixo.

Começando pela versão de San Diego, a Green Flash Frienship Brew tem 5.7% de graduação alcoólica numa receita que utiliza um blend de lúpulos norte-americanos e europeus, levedura belga mais um combinado de temperos “secretos”, segundo o site oficial. De coloração preta com tons marrons se colocada contra a luz, a Green Flash Frienship Brew exibe um creme marrom de boa formação e permanência. No nariz, o perfume se destaca valorizando a inserção da levedura Brettanomyces, que concede ao conjunto um toque arisco e condimentado, que se une a sugestão cítrica (maçã verde) e herbal dos lúpulos. Há ainda sugestão de anis, azedume, ameixa, alcaçuz e madeira. Na boca, a levedura novamente se destaca com insinuação de azedume que cai muito bem com as notas de café derivadas da torra do malte, e que não são tão perceptíveis ao nariz como era de se esperar. Há ainda caramelo e reforço de maçã verde, anis, alcaçuz e especiarias. O final é caramelo, café e azedume comportado de levedura. No retrogosto, café, caramelo e anis. Personal.

Agora é a vez da versão belga, e a Black Saison produzida pela St-Feuillien em Le Roeulx, já se diferencia da versão da Green Flash na graduação alcoólica, que aqui alcança 6.5%. Também de coloração preta com tons marrons se colocada contra a luz, a St-Feuillien Black Saison exibe um creme marrom de excelente formação e média permanência. A segunda diferença surge no nariz: a valorização da levedura Brettanomyces exibida na receita de San Diego é deixada de lado aqui na busca pelo equilíbrio. No aroma, não tão perfumado quanto a da Frienship Brew, é possível perceber as notas derivadas da tosta e torra do malte remetendo a café e chocolate além de frutas escuras (ameixa), caramelo, anis, alcaçuz e especiarias, tudo bem suave. Na boca, o equilíbrio volta a se repetir com o malte torrado respondendo pelo primeiro toque, com amargor e sugestão de café, enquanto o conjunto, agradável, opta pela leveza. Há sugestão de alcaçuz, anis, chocolate e caramelo numa cerveja que termina com café, chocolate e anis e retorna com caramelo e leve acidez de especiarias. Muito boa.

Balanço
A versão de Black Saison dos norte-americanos é uma singela homenagem à escola belga, com azedume derivado da levedura Brett brigando por atenção com as notas derivadas da tosta e torra do malte (café, chocolate e caramelo) e dos lúpulos inseridos na receita. O resultado é uma cerveja interessante, ainda que não espetacular. É uma boa experiência, mas uma Saison clara (como a própria St. Feuillien Saison) ainda é muito melhor. A Black Saison da St-Feuillien, por sua vez, opta pelo equilíbrio da receita, e valoriza o malte escuro, tostado e torrado, mas insere delicadamente no conjunto detalhes que a aproximam de uma Saison, embora ela lembre uma Mailbock temperada. Para o meu gosto, prefiro a versão mais delicada dos belgas do que a “na cara” dos norte-americanos, mas nenhuma destas duas Black Saisons supera uma Saison tradicional, e a releitura italiana para o estilo, a New Morning, da Del Ducato, segue sendo uma das melhores cervejas que bebi em 2014. Ainda assim, St-Feuillien e Green Flash merecem elogios pela parceria, que já rendeu também uma Belgian Coast IPA e uma Bière de La L’Amitié.

Green Flash Frienship Brew
Produto: Black Saison
Nacionalidade: Estados Unidos
Graduação alcoólica: 5,7%
Nota: 3,27/5

St. Feuillien Black Saison
Produto: Belgian Blond Ale
Nacionalidade: Bélgica
Graduação alcoólica: 6,5%
Nota: 3,38/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.