Boteco: Shepherd Neame, Meantime e Badger

Três cervejas inglesas…

por Marcelo Costa

Na cidade de Kent, sudoeste da Inglaterra, está localizada a Shepherd Neame, cervejaria mais antiga do Reino Unido (1698), responsável pelas cervejas Bishops Finger, Whitstable Bay e Spitfire, e também por esta Canterbury Jack, que carrega o nome dos feirantes funileiros do século XVII da catedral da cidade de Kent. A receita une os maltes Cristal e Pale Ale com os lúpulos (britânico) East Kent Goldings e (norte-americano) Cascade mostrando o interesse dos ingleses em se atualizar. De coloração âmbar caramelo e creme levemente bege de ótima formação e média permanência, a Shepherd Neame Canterbury Jack traz um aroma maltado tradicionalíssimo, remetendo caramelo e mel. É possível perceber um leve toque cítrico, que pouca influencia o conjunto aromático. Na boca, a paixão dos britânicos pelo caráter maltado (caramelo e mel) da cerveja faz sorrir, mas, como uma boa bitter, um amargor pontual e caprichado que distribui leves notas frutadas cítricas (lichia), que se acumulam no final (maltado e suavemente amargo) e tornam cada novo gole melhor que o anterior. No retrogosto, amargor suave, caramelo, mel e lichia. Bem boa.

De Blandford, no condado de Dorset, a Hall & Woodhouse, fundada em 1777, é responsável pela linha de cervejas Badger, com cinco estilos distribuídos no Brasil: First Gold (Bitter tradicional), Hopping Hare (Triple Hop), Poacher’s Choice (com alcaçuz e ameixa), Blandford Flyer (com gengibre) e Golden Glory, uma blond ale que recebe adição de flores de pêssego. Bastante premiada, a Badger Golden Glory exibe uma âmbar clara com creme branco de ótima formação e permanência. No nariz, pêssego e mais pêssego e mais pêssego. Com persistência é possível sentir algo de maracujá (derivado do blend de lúpulos) e caramelo (do malte), mas eles ficam em segundo (terceiro, ou melhor, quarto) plano. Na boca, a doçura advinda da adição de flor de pêssego volta a comandar a percepção, mas abre espaço para uma estocada de amargor maltado, que tenta equilibrar o conjunto, sem sucesso. Aqui é possível perceber sugestão de melão e de damasco num conjunto essencialmente frutado e adocicado, que leva o sabor das frutas até o final (sem combate de amargor nem percepção de lúpulo cítrico). No retrogosto, chá de pêssego. Curiosa.

De Greenwich, em Londres, a inovadora Meantime Brewing Company é representada pela Yakima Red, uma Amber Ale produzida pela primeira vez em 2011, cuja receita reúne um blend de maltes ingleses e alemães e cinco lúpulos norte-americanos do Vale de Yakima, no estado de Washington. De coloração âmbar caminhando para se tornar vermelho, a Meantime Yakima Red exibe um creme de boa formação e média permanência. No nariz, notas cítricas (raras em uma cerveja inglesa) derivadas dos cinco tipos de lúpulos brigam pela atenção do bebedor com o caramelo e o mel advindos do malte, mas de forma equilibrada e delicada, tradicionalmente inglesa (ou seja, para o bem e para o mal, não espere excessos). Na boca, os lúpulos novamente guiam o paladar do bebedor, mas seguindo a risca o equilíbrio exibido no aroma: o primeiro toque traz uma rápida doçura de malte que é encoberta por um amargor cítrico tão suave que não chega a remeter a nenhuma fruta; na sequência, o malte sorri com caramelo e mel e o amargor suave volta a conduzir o bebedor, agora para o final, meio amargo, meio doce. No retrogosto, caramelo, mel e até frutas vermelhas, mas o que fica é o amargor. Por um bom tempo. Interessante.

Balanço
A Shepherd Neame Canterbury Jack é uma bitter bastante agradável, com lúpulos norte-americanos não arranhando o brilho do malte, mas acrescentando um frutado que remete a lichia (e torna o conjunto ainda melhor). Minhas preferidas da casa ainda são a Spitfire e, principalmente, a Bishops Finger, mas essa Canterbury Jack é uma ótima pedida inglesa também. Quinta cerveja da linha Badger a passar por esse espaço (a preferida é a deliciosa Hopping Hare), a Golden Glory é mais uma aposta maluca do pessoal de Dorset, que já havia colocado gengibre em uma receita (a boa Blandford Flyer), alcaçuz e ameixa em outra (a curiosa Poacher’s Choice) e aparece aqui incluindo flores de pêssego. A inserção me soa exagerada, mas ela já faturou alguns prêmios (todos em 2001) e é uma ótima carta de visitas dessa cervejaria que não sossega na tradição. Fechando o trio com a melhor das três, Meantime Yakima Red, de uma das melhores cervejarias londrinas da atualidade, bastante premiada e com um olho na tradição e outro no futuro. Essa Amber Ale lupulada consegue tirar o melhor proveito da união de malte e lúpulo, valorizando ambos numa cerveja agradabilíssima. Ponto para Londres.

Shepherd Neame Canterbury Jack
– Produto: Ordinary Bitter
– Nacionalidade: Inglaterra
– Graduação alcoólica: 4%
– Nota: 2,98/5

Badger Golden Glory
– Produto: Speacility Bitter
– Nacionalidade: Inglaterra
– Graduação alcoólica: 4,5%
– Nota: 2,71/5

Meantime Yakima Red
– Produto: Amber Ale
– Nacionalidade: Inglaterra
– Graduação alcoólica: 4,1%
– Nota: 3,30/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.