Boteco: duas sazonais e uma limitada brasileiras

por Marcelo Costa

Recém-lançada, a Baden Baden Witbier é, inicialmente, limitada, ficando no mercado apenas por quatro meses, a partir de abril. Na receita, destaque para os maltes de trigo e de cevada mais a adição de coentro e de aroma natural de laranja. Na taça, a Baden Baden Witbier exibe uma coloração amarelo palha pálida e opaca (que remete a Hoegaarden, benchmarking do estilo), devido a não filtração (característica do estilo) com creme branco de boa formação e média permanência. No nariz, intensa percepção cítrica com notas claras remetendo a laranja, e levando a cerveja da Bélgica para os Estados Unidos, mais propriamente para a terra da Blue Moon. O coentro não aparece no aroma, que se restringe a adição da fruta cítrica, perdendo em profundidade. O paladar, brilhantemente refrescante, reforça a valorização da inserção do extrato de laranja, novamente de forma linear resultando em um conjunto agradável, mas de pouca personalidade. O final é cítrico e refrescante enquanto o retrogosto traz laranja e uma levíssima percepção herbal. Pode fazer muito sucesso.

Vencedora do 4º Concurso Mestre Cervejeiro, realizado em 2013 pela Eisenbahn, que reuniu mais de 600 participantes, a Frosty Bison é uma American IPA que chega às lojas em edição limitada, mas o resultado é tão agradável que a cervejaria Sudbrack deveria pensar com muito carinho em mantê-la no cardápio, mas com garrafa tradicional da casa, e preço idem. De coloração âmbar alaranjada e creme branco de bela formação e longa permanência, a Eisenbahn Frosty Bison destaca um encantador aroma cítrico e frutado remetendo a laranja e maracujá com base bastante suave de malte de caramelo. Nada profundo, mas convidativo. Na boca, equilíbrio elogiável entre o amargor comportado do lúpulo cítrico com o adocicado caramelado do malte resultando em uma cerveja refrescante, saborosa e fácil de beber (mesmo pruma IPA). O final é cítrico, suavemente amargo e com um toque suave de resina. No retrogosto, resina e leve adstringência. Bem boa.

Em 2011, a Cervejaria Heilige, de Santa Cruz do Sul (RS), decidiu produzir 898 garrafas numeradas de uma Marzen para comemorar a Oktoberfest da cidade. O resultado foi tão elogiado que a turma da Seasons Craft Brewery, de Porto Alegre, decidiu colaborar na edição de 2012, repetindo o feito em 2013 (a garrafa da foto) com maltes alemães e o novíssimo lúpulo cítrico Hallertau Mandarina Bavaria na receita. De coloração âmbar caramelada com creme levemente bege de ótima formação e permanência, a Oktoberfest Santa Cruz do Sul destaca um aroma deliciosamente maltado remetendo a caramelo, mel e bala toffee com uma suave sugestão cítrica presente. Na boca, o malte continua dando as cartas de forma magnifica distribuindo dulçor caramelado com reforço de mel. No contra-ataque, o amargor do lúpulo é assertivo e equilibra o conjunto de forma exemplar. No final, o amargor pula a frente do caramelo (sem escondê-lo) e chama a atenção pra si. No retrogosto, amargor cítrico e mel. Pena que é só uma vez por ano…

Balanço
A 11ª Baden Baden a passar por este espaço é a aposta do pessoal de Campos do Jordão em um estilo que muitos dizem ser destinado ao Brasil: witbier. Eles miraram a belga Hoegaarden e acertaram a norte-americana Blue Moon, e ainda que o resultado fique devendo em comparação ao original do Colorado (a “cópia” funciona na superfície, mas peca em profundidade), a Baden Baden Witbier talvez seja o melhor rótulo nacional do estilo presente no mercado brasileiro (batendo a boa versão da Sauber e a mediana receita da Wäls, entre outras). Não é pra comemorar: com preço estimado em R$ 15 (a garrafa de 600 ml), vale mais comprar duas Hoegaarden de 330 ml, que fica praticamente o mesmo custo, com beneficio melhor. Mas vale experimentar e esperar que a cerveja entre na linha de produção normal da cervejaria, estando disponível principalmente no verão (importante: ela coloca no bolso as tentativas de Radler da Kaiser). A Eisenbahn continua sendo uma excelente alternativa para cervejeiros de primeira viagem experimentarem estilos variados, e, nesse ponto, a Frosty Bison merece aplausos: é uma American IPA mais suave que as cervejas do estilo na terra do Obama, mas que transmite refrescância, fácil identificação de lúpulo e malte, e um sabor admirável. Com um pouco menos de álcool seria uma session beer exemplar, e é uma pena que seja uma edição limitada, prêmio de um concurso da fábrica, pois deveria entrar no catálogo da casa, já que é uma das melhores cervejas que a Eisenbahn já produziu. Fechando o trio com uma cerveja do ano passado, 2013, a Oktoberfest Santa Cruz do Sul, belíssima colaborativa da Heilige com a Seasons, uma Marzen maltadíssima e com amargor esperto marcando o trecho final, uma delicia que em suas primeiras edições vinha numerada, mas que agora já pode ser encontrada com mais facilidade nos último trimestre do ano. Fique de olho na receita de 2014. Deve vir coisa boa dessa parceria.

Baden Baden Witbier
– Produto: Witbier
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4,9%
– Nota: 2,92/5

Eisenbahn Frosty Bison
– Produto: American IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6,9%
– Nota: 3,37/5

Oktoberfest Heilige Seasons 2013
– Produto: Marzen
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6,5%
– Nota: 3,54/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.