Boteco: Três cervejas da Doppio Malto (parte 1)

doppiomalto.jpg

por Marcelo Costa

O Birrificio Doppio Malto surgiu em 2004 em Erba, pequena comuna italiana de 16 mil habitantes na região da Lombardia, à uma hora de Milão e menos tempo ainda da fronteira com a Suíça. A cervejaria nasceu da paixão de Alessandro Campanini pelas cervejas norte-americanas frutos da revolução cervejeira que tomou o país nos 80 e 90. Animado, Campanini estudou na Niagara Falls Brewing Company, no Canadá, e começou a produzir os primeiros testes da Birrificio Doppio Malto no segundo semestre de 2003. Hoje a cervejaria conta com nove rótulos, todos premiados em concursos internacionais, e seis deles estão presentes em prateleiras brasileiras: Rust Ale, Stone Ale, Old Jack, Mahogany IPA, Bitterland e Zingibeer. Neste primeiro passeio vamos com as três que chegaram ao Brasil nas tradicionais e belas garrafas de 500 ml da casa. Vamos a elas.

zingi.jpg

A Doppio Malto Zingibeer é uma Gengibirra, cerveja que recebe adição de gengibre. De coloração alaranjada e creme também levemente alaranjado, de boa formação e permanência, a Doppio Malto Zingibeer destaca no nariz o aroma inconfundível (e agradável) do gengibre dominando quase toda a percepção do bebedor, mas abrindo um pequeno espaço para que o caramelo do malte marque presença. Há ainda sugestão de condimentação (canela e pimenta do reino) provavelmente derivada do gengibre. Na boca, o gengibre também dá as cartas distribuindo calor em notas condimentadas e uma leve acidez, que causa adstringência. Há algo de cítrico próximo do limão, um leve azedume, a discreta presença do malte e nenhuma percepção dos 7% de álcool (o calor vem mais da planta do que do álcool). O final é levemente picante com um toque de caramelo amaciando enquanto o retrogosto é apenas gengibre. Muito boa.

old.jpg

A Doppio Malto Old Jack é uma Chocolate Stout italiana (sem chocolate) de coloração preta com feixes marrons no fundo da taça. Com espuma bege cremosa de boa formação e longa permanência, a Doppio Malto Old Jack exibe um aroma aveludado característico do estilo, com mais sugestão de chocolate do que de café (embora o segundo esteja presente). Há percepção de aveia também no aroma. Na boca, a Old Jack repete lindamente as sugestões do aroma com notas maltadas remetendo a aveia e chocolate em primeiro plano, a sugestão de café surgindo na sequencia e um leve toque amargor (provavelmente derivado mais da torra do malte do que do lúpulo) equilibrando o conjunto. O final valoriza a sugestão de chocolate e café transformando tudo em cappuccino enquanto o retrogosto traz aveia, leite, café e chocolate. Simples e eficiente.

rustale.jpg

Fechando o trio, a Doppio Malto Rust Ale é uma American Amber Ale bastante particular, com coloração âmbar densa e creme bege de excelente formação e média permanência. No nariz, o malte tostado se desprende em notas de caramelo enquanto o lúpulo coloca notas cítricas, algo de uva verde, maracujá e a acidez do morango (sem a doçura). Talvez seja a levedura (ou talvez seja essa garrafa), mas há uma clara (e interessantíssima) sensação de azedume e salgado, como se essa Rust Ale tivesse no meio do caminho para ser uma sour. Isso tudo sem contar um leve toque de resina, mofo e sugestão de especiarias. Na boca, o primeiro toque reforça a sensação sour com acidez envolvente que encobre o amargor. Há sugestão de laranja passada, mofo e caramelo além de resina. O final é levemente azedo, ácido e seco enquanto o retrogosto traz limão, caramelo e resina. Meio doidinha, mas bem interessante.

doppio2.jpg

Balanço
O aroma da gengibirra da Doppio Malto é delicioso, e, felizmente, é repetido com intensidade no paladar, surpreende o bebedor. Notas picantes e calor (que até pode ser atribuído ao álcool, embora ele não apareça no conjunto) marcam a experiência de uma bela cerveja (em uma bela garrafa). Já a Doppio Malto Old Jack é uma releitura simples e eficiente do estilo chocalate stout. Mesmo sem adição de cacau ou chocolate, o resultado é reverente e brilhante, não devendo praticamente nada a benchmarkings do estilo. Uma surpresa agradabilíssima. Fechando o trio, a Doppio Malto Rust Ale me deixou com uma pulga atrás da orelha: segundo o site oficial, ela deveria ser uma amber ale, mas a minha garrafa, ao menos, estava azeda se aproximando de uma sour. Fui pesquisar no Ratebeer para verificar minhas suspeitas, e há tanto pessoas apontando atributos de Amber para ela quanto de sour, o que me deixou na dúvida: será que ela azedou para outras pessoas mesmo? Ou será que alguns ignoraram o azedume e cravaram amber? Só vou poder descobrir quando tiver uma outra garrafa, de preferência, na Itália, mas fica o registro: mesmo azeda, estava ótima (aliás, melhor que a linha sour da Way).

Doppio Malto Zingibeer
– Produto: Spice Vegetable Beer
– Nacionalidade: Itália
– Graduação alcoólica: 7%
– Nota: 3,24/5

Doppio Malto Old Jack
– Produto: Foreign Chocolate Stout
– Nacionalidade: Itália
– Graduação alcoólica: 6,3%
– Nota: 3,40/5

Doppio Malto Rust Ale
– Produto: Amber Ale
– Nacionalidade: Itália
– Graduação alcoólica: 5,5%
– Nota: 2,94/5

doppio3.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.