Bélgica: Diva, Palm Royale e Hoegaarden

por Marcelo Costa

A Brasserie La Binchoise surgiu em 1995 na cidade medieval de Binche, a 60 quilômetros de Bruxelas, e seu cardápio conta com mais de 40 rótulos, sendo que esta Diva Witbier é feita com exclusividade para o mercado brasileiro, com pedido de importação da On Trade. De coloração amarelo palha tradicional do estilo, a Diva Witbier exibe um creme branco de baixa formação e média permanência. No nariz, notas clássicas: cítrico intenso remetendo a casca de limão, leve sugestão de acidez proveniente da levedura belga, notas florais e condimentado que remete a coentro e semente de cravo. Na boca, notas cítricas que remetem a limão surgem primeiro trazendo consigo acidez, trigo e um toque frutado e levemente condimentado que desaparece rapidamente. A sensação é de que o final é seco e rápido demais, com o retrogosto marcado por refrescância e limão.

A Brouwerij Palm é uma cervejaria belga fundada em 1929 no mesmo lugar que abrigava, desde 1747, a cervejaria Hoorn, em Steenhuffel, a 25 minutos de Bruxelas. Esta Palm Royale surgiu em 2004 para comemorar o 90º aniversário do mestre-cervejeiro da casa, Alfred Van Roy. De coloração âmbar caramelada e creme de boa formação e média permanência, a Palm Royale chama atenção desde o momento em que a garrafa é aberta, e um aroma salta da garrafa liberando notas adocicadas (caramelo e baunilha), frutadas (pêssego em calda, abacaxi e banana), leve floral, trigo e sugestão de condimentação, com a levedura provocando coceira no nariz. Na boca, amargor alcoólico e adstringência denotam a potência dos 7.5% de álcool, amaciados por notas adocicadas que remetem a caramelo e baunilha além de ameixa. O final é adocicado, resinoso e seco com o retrogosto trazendo adstringência e caramelo.

Produzida na pequena vila de Hoegaarden, no norte da Bélgica, desde 1441, a Hoegaarden é o benchmarking do estilo witbier: toda vez que alguém pensa em fazer uma wit, a receita será pensando em ser igual a Hoegaarden ou diferente da Hoegaarden (o que por si só já demonstra como a cerveja do senhor Pierre Celis alcançou um patamar de estrela). Na versão tradicional da casa, a receita inclui sementes de coentro e raspas de casca de laranja. De coloração amarelo palha (puxada para limonada) e creme de ótima formação e média permanência, a Hoegaarden traz ao nariz notas cítricas que remetem diretamente a laranja lima. Ainda é possível perceber trigo, banana e coentro criando um azedinho inesquecível. No paladar, refrescante, suaves notas cítricas combinadas com o picante da condimentação fazem desta cerveja a número 1 para dias quentes de verão. Uma delicia de final condimentado e cítrico (limão) e retrogosto levemente cítrico e adstringente, como se pedindo outra.

Balanço
Feita na Bélgica sob encomenda para atender o mercado brasileiro, a Diva Witbier é uma digna representante do estilo – tanto em aroma quanto em sabor – que não surpreende e acaba perdendo terreno no preço, já que duas fortes (e melhores) concorrentes, o benchmarking Hoegaarden e também a Vedett Extra White saem mais em conta (enquanto a Hoegaarden sai por R$ 8 em média, a Diva custa R$ 13). Já a Palm Royale é um exemplar interessante de Belgian Strong Ale, com álcool aparente e muita proximidade com o conjunto Leffe, principalmente pela carbonatação e condimentação. Tanto aroma quanto sabor denotam uma cerveja de pedigree belga, frutada, adocicada e alcoólica, quase de abadia, que merece sua atenção. Pra fechar, Hoegaarden, um clássico. Escrevi a primeira vez sobre ela ainda quando eu sabia pouco sobre cervejas, em 2008, e estava encantado por essa wit refrescante e saborosa. Seis anos depois ela continua deliciosa, e com o mesmo frescor. Essa é daquelas que facilmente eu teria uma caixa a mão para bebê-la de vez em quando – principalmente em dias quentes.

Diva Witbier
– Produto: Witbier
– Nacionalidade: Bélgica
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 2,79/5

Palm Royale
– Produto: Belgian Strong Ale
– Nacionalidade: Bélgica
– Graduação alcoólica: 7,5%
– Nota: 3,40/5

Hoegaarden
– Produto: Witbier
– Nacionalidade: Bélgica
– Graduação alcoólica: 5%
– Nota: 4,04/5

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.