Boteco: Da Noruega, três cervejas da Nøgne Ø

nogne2.jpg

por Marcelo Costa

A Noruega é um país extremamente rígido quanto ao consumo de bebidas alcoólicas. Há uma lei que limita a bebida vendida diretamente ao público em supermercados e empórios a até 4,75% de álcool. Acima disso só é possível comprar bebidas alcoólicas em restaurantes e bares autorizados para consumo no local ou em liquid stores controladas pelo governo, mas isso não impede que grandes cervejas nasçam no país nórdico. Um dos principais nomes responsáveis pela revolução cervejaria na Noruega é a cervejaria independente Nøgne Ø, que tem como missão, avisa o site oficial, “criar fantásticas cervejas artesanais”. Fundada em 2002 em Grimstad, uma província marítima de menos de 20 mil habitantes a pouco mais de três horas de Oslo, a Nøgne Ø conseguiu destaque mundial quando um rótulo da casa, Dark Horizon 1st Edition, foi laureado com a Medalha de Ouro no World Beer Cup 2008, em San Diego, EUA – a Nøgne Ø ficou com a Medalha de Prata em sua categoria. O cardápio da casa é extenso, com mais de 100 rótulos entre tradicionais e sazonais, alguns deles exportados para 30 países, Brasil incluso. As três abaixo foram compradas em um liquor store de Oslo em preços que variam de R$ 25 a R$ 35 (garrafa de 500 ml – no Brasil, ela está sendo vendida a R$ 50).

nogne4.jpg

A Nøgne Ø Two Captains é Double IPA feita a partir de uma receita caseira de Jan Halvor Fjeld, vencedor do campeonato norueguês de homebrewing em 2010, e a cervejaria assume: é inspirada na América, o que fica claro assim que a garrafa é aberta, liberando aromas lupulados e cítricos. Na receita, água Grimstad, malte de cevada, lúpulo e levedura ale inglesa. De belíssima coloração alaranjada e creme de magnifica formação e alta permanência, a Nøgne Ø Two Captains traz no aroma um caminhão de notas cítricas derivadas de lúpulos norte-americanos, remetendo a notas que valorizam o cítrico frutado (casca de laranja, pêssego e acerola), o herbal (pinheiro, capim), o adocicado, ainda que em segundo plano, remetendo a caramelo, e uma pitada de resina. O IBU 100 pode assustar, mas não é tão amargo quanto se espera – ainda que seja bem amarga. O primeiro ataque une amargor e cítrico (laranja e acerola) com herbal (pinho) e caramelado numa combinação bastante harmônica. O final é seco e levemente amargo (desaparecendo rápido) enquanto o retrogosto traz cítrico e caramelo. Uma baita Double IPA.

nogne5.jpg

Para festejar o lote 500 da cervejaria, a turma da Nøgne Ø decidiu criar uma cerveja com 5 maltes, 5 lúpulos, e que alcançasse 10% de graduação alcoólica e 100 IBUs. Nascia a Nøgne Ø #500, uma Double Imperial India Pale Ale que reúne malte de cevada, de centeio, de trigo e aveia mais os lúpulos Chinook, Simcoe, Pacific Gem, Centenneal e “doses generosas de” Nelson Sauvin (lúpulo neozelandês). “É quase uma Barleywine”, avisa o site oficial. De coloração âmbar alaranjada e creme bege espesso de ótima formação e longa permanência (com direito a marcas nas bordas da taça), a Nøgne Ø #500 destaca um aroma intenso que revela notas cítricas (laranja, tangerina e acerola), herbais (muito pinho), florais e levemente adocicadas (caramelo e mel) com algumas sugestões de trigo e aveia. Se o aroma impressiona, o paladar não fica nem um pouco atrás: amargor elevado e uma bem-vinda presença de malte, que acaricia com caramelo enquanto o lúpulo distribui amargor e cítrico. O álcool é perceptível apenas na face, que começa a aquecer conforme a garrafa esvazia. O final traz esteres de levedura, amargor cítrico e caramelado de malte. O retrogosto e cítrico e melado. Um sonho.

nogne6.jpg

Para fechar o trio da excelente casa norueguesa, uma cerveja sazonal especialíssima: Nøgne Ø Sunturnbrew, uma junção de barleywine com rauchbier produzida no dia mais curto e mais escuro do ano, o solstício de inverno no hemisfério norte, que geralmente cai entre 21 ou 22 de dezembro (21 no ano passado – desta garrafa), quando a escuridão torna o dia mais curto. A receita leva malte de cevada (30% dele defumado!), malte de centeio, trigo, lúpulo, levedura e água Grimstad. De coloração preta intensa e creme bege de boa formação e média permanência, a Nøgne Ø Sunturnbrew traz no aroma a percepção clara do malte defumado sugestionando fumaça, azeite balsâmico e tabaco, intensos. Fugindo da viciosa sensação destas notas fortes é possível perceber algo de frutas escuras (ameixa) e adocicado (caramelo) – e alguma coisa de amadeirado. No paladar, excelente, o defumado vem em primeiro plano (remetendo a fumaça, tabaco e defumados em geral), mas um adocicado de malte o acompanha, amaciando o trajeto. Há quase nenhuma percepção dos 11% de álcool muito menos dos 50 de IBU. O final é longo, intenso e levemente defumado e se mistura com o retrogosto. Ideal para quem vive no Circulo Polar (e para viciados em rauchbier). Um sonho.

nogne7.jpg

Balanço
Uma grande surpresa, as três cervejas acima da Nøgne Ø merecem aplausos. Nøgne Ø Two Captains Double IPA, que pode ser encontrada no Brasil, é uma respeitosa homenagem à nova escola norte-americana, e não decepcionará fãs do estilo. Já a Nøgne Ø #500 é uma baita experiência cervejeira, com aroma e paladar viciantes. Por fim, a Nøgne Ø Sunturnbrew é daquelas cervejas indicadas apenas para quem já vem explorando o universo cervejeiro e não se assusta com uma Schlenkerla. Embora a Sunturnbrew não seja tão extrema na defumação quanto à mítica rauchbier alemã, quem não é acostumado com o estilo deve estranhar, e muito. Passado o estranhamento surge uma cerveja espetacular, com um aroma intenso e complexo e alta elevação alcóolica. Os noruegueses queria produzir uma barleywine defumada, e o resultado é uma cerveja inesquecível. Para poucos, mas ainda assim, inesquecível.

nogne8.jpg

Nøgne Ø Two Captains
Produto: Imperial Double IPA
Nacionalidade: Noruega
Graduação alcoólica: 8,5%
Nota: 3,95/5

Nøgne Ø #500
Produto: Imperial Double IPA
Nacionalidade: Noruega
Graduação alcoólica: 10%
Nota: 4,08/5

Nøgne Ø Sunturnbrew
Produto: Barley Wine
Nacionalidade: Noruega
Graduação alcoólica: 11%
Nota: 4,26/5

nogne61.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *