Boteco: De Ribeirão Preto, Cervejaria Colorado

colorado1.jpg

por Marcelo Costa

Fundada em 1995 em Ribeirão Preto, cidade com mais de 600 mil habitantes a noroeste da capital paulista (310 quilômetros de São Paulo), a Cervejaria Colorado transformou-se, com o passar dos anos, em uma das micro cervejarias nacionais mais respeitadas do país, juntando aos tradicionais malte, lúpulo, fermento e água, ingredientes como café, rapadura, mandioca, mel e castanha do Pará. Na linha tradicional, de fácil acesso (podendo ser encontrada em grandes redes de supermercados), estão os rótulos de maior apelo popular: Caium, Appia, Indica e Demoiselle, que em versões de garrafa 600 ml podem ser encontradas entre R$ 12 e R$ 17 (eles também utilizam a versão 310 ml). Na linha especial da cervejaria (também em 600 ml) surgem a Vixnu, a Berthô (entre R$ 19 e R$ 25) e a Ithaca (entre R$ 45 e R$ 60), esta última exportada para os Estados Unidos sob o nome de Guanabara. Há, ainda, edições feitas sob encomenda, como a ICI 01 e a Quattro. Abaixo, um pouco sobre cada uma delas.

colorado2.jpg

Apelidada de Brasileiríssima, a Colorado Cauim é uma Premium American Lager feita com fermento alemão, malte importado, lúpulo tcheco (Perle e Saaz) e… farinha de mandioca. No copo, um liquido dourado exibe uma ótima formação de espuma, de média permanência. No aroma, além dos tradicionais malte e lúpulo, uma interessante percepção de queimado (que pode/deve ter alguma relação com a adição de mandioca) diferencia o conjunto das lagers tradicionais – positivamente. O paladar é levíssimo e refrescante (proposta número 1 da Caium, que tem 4.5% de graduação alcoólica e 17 de IBU), com notas suaves de malte, um leve amargor advindo do lúpulo, e um pouco de DMS (milho / off flavor), que segue acompanhando o leve amargor quase até o final. O retrogosto traz malte e, em dias de calor, o desejo de abrir outra. Não perca tempo, o alto drinkability colabora.

colorado3.jpg

A Colorado ICI 01 é uma versão encomendada da Cauim, que serve de base para a receita (mandioca inclusa), mas com lúpulos franco-germânicos (Triskel e Strisselpalt), nativos da Alsácia-Lorena. É produzida a pedido da ICI Brasserie, restaurante paulistano de Benny Novak e Renato Ades. Na taça, um liquido dourado exibe ótima formação de espuma, de média permanência. No aroma, a presença do malte se torna mais intensa do que na Cauim (remetendo a trigo) enquanto lúpulos franceses aparecem com discrição. No paladar, o conjunto suave volta a valorizar o malte, mas quem se destaca são os lúpulos florais, que fazem da ICI 01 uma cerveja ligeiramente diferente da Cauim (sem sensação de mandioca e o off flavor de DMS). O conjunto ainda preza pela refrescância e alto drinkability, mas sobe um degrau acima da versão padrão da casa. O final é levemente amargo e o retrogosto, maltado.

colorado4.jpg

A Colorado Appia é a (tentativa de) Weiss do pessoal de Ribeirão Preto, que destaca uma receita que reúne cevada, trigo maltado, levedura inglesa, Mel de Laranjeira e lúpulos Perle e Hallertau. Na taça, a cor do líquido é dourado e ligeiramente turvo. A formação de espuma é média, e a permanência, baixa. O aroma não se desprende com facilidade, sendo bem pouco marcante. É possível, com esforço, resgatar algumas notas derivadas do trigo (pão) e, principalmente, do mel (um adocicado meio cítrico), mas, no conjunto, o aroma não destaca. No paladar, o primeiro destaque é uma leve acidez, que some rapidamente abrindo espaço para o mel de laranjeira, tímido, mas perceptível, e para a cevada, remetendo a tutti-frutti. O final é levemente maltado (puxando para a cevada) enquanto o retrogosto é adocicado.

colorado5.jpg

De coloração âmbar e bela espuma (em formação e persistência), a Colorado Indica é a India Pale Ale da casa ribeirão-pretana. E eles capricharam adicionando rapadura na receita que usa lúpulos Galena e Cascade, alcança 7% de graduação alcoólica e 45 de IBU. No aroma, as deliciosas notas cítricas (casca de laranja) e florais (flor de laranjeira) características do lúpulo Cascade batem ponto e a boa dosagem de malte levemente tostado, encorpada pela rapadura, faz um delicioso contraponto adocicado (em notas que remetem a caramelo). O paladar, como se espera de uma boa IPA, é amargo, mas equilibrado: começa médio alto, e vai suavizando conforme o malte aparece distribuindo doçura (novamente caramelo mais melaço e baunilha). O final é levemente amargo com presença de notas tostadas enquanto o retrogosto traz algo de cítrico em uma das grandes cervejas brasileiras da atualidade.

colorado6.jpg

Mantendo o nível alto, a Colorado Demoiselle é uma cerveja que utiliza malte de cevada, lúpulos Galena e Northern Brewer e café da região da Alta Mogiana, moído e torrado. Uma das cervejas nacionais mais premiadas no exterior, a Demoiselle (que leva o nome de um aeroplano de Santos Dumont) exibe como destaque uma Medalha de Ouro no Concurso Mundial de Bruxelas, 2012, na categoria Porter. Na taça, um líquido preto exibe bela formação de espuma, de ótima permanência. O aroma, inevitável, destaca o malte torrado e a adição de café – baristas, por favor, provem. Sob as notas intensas de café ainda é possível distinguir notas herbais (pinho) e leve condimentação (pimenta do reino). O paladar é agradabilíssimo, com malte torrado e café cortejando o bebedor, com leve sensação de toffee. O final é levemente amargo e absolutamente seco. No retrogosto, mais café. Excelente.

colorado7.jpg

Entrando na linha mais recente da cervejaria de Ribeirão Preto, a Colorado Berthô é uma Double Brown Ale que traz, em sua receita, lúpulo Nugget e castanha do Pará. A cor é um âmbar translucido e a espuma, média e de pouca persistência. No aroma, muito malte levemente tostado distribuindo notas adocicadas que remetem a caramelo e baunilha (provavelmente com auxilio da adição de castanha do Pará) e frutadas (banana caramelada) além de suave percepção de álcool. Ainda traz alguma coisa que remete a madeira. No paladar, a textura é levemente licorosa, e o álcool se faz presente desde o início. Ainda há bastante percepção de malte (como no aroma) e castanhas, se desprendendo em notas frutadas (nozes, as próprias castanhas do Pará, ameixa). O final é melado enquanto o retrogosto (ótimo) traz algo de álcool, madeira e frutas escuras.

colorado8.jpg

Em 2010, os mestres cervejeiros Patrick Zanello e Matt Brynildson (Firestone Walker) fizeram uma receita colaborativa seguindo a receita original da Colorado Indica, mas buscando realçar maltes e lúpulos criando, ao final, uma Imperial IPA, que foi inicialmente chamada de Double Indica, depois, de Colorado Vixnu. Ou seja, permanecem a rapadura e os lúpulos Galena e Cascade, mas surge o lúpulo Amarillo no dry-hopping, que concede ao conjunto um aroma delicioso. Na taça, um líquido de cor âmbar e translucida, quase avermelhada, exibe uma bela espuma, de boa permanência. No aroma, notas cítricas intensas (muito maracujá e um pouco de abacaxi e laranja) e algo de caramelo (malte mais rapadura, provavelmente) formam um conjunto viciante. No paladar, 75 de IBU não desmentem: dá-lhe amargor, mas um amargor cítrico, saboroso, com as notas frutadas (maracujá) acariciando as papilas enquanto o caramelado de malte e rapadura fazem o favor de balancear a experiência. Excelente. O final é amargo, e o retrogosto, cítrico. Uma das melhores IPAs nacionais a disposição no mercado.

colorado9.jpg

Fechando o passeio pelo cardápio da Colorado, Ithaca, uma poderosa Russian Imperial Stout de 10,5% de álcool e adição de rapadura queimada, medalha de prata no South Beer Cup. A cor é um preto intenso, bonito, com espuma bege de ótima formação e permanência. No aroma, o malte torrado traz notas que remetem a café, sendo que a rapadura trata de adocicar o conjunto, que ainda deixa perceptível a boa dose de álcool presente. Há ainda um frutado, que remete a uva passa, ameixa e mesmo a vinho. O paladar, magnifico, eleva as sensações surgidas no aroma. As notas que remetem a café e toffee surgem acompanhadas de um melaço delicioso (baunilha, toffee, açúcar queimado) e da potência do álcool, que toca o céu da boca e aquece a garganta. O final remete a Irish Coffee (com açúcar, café em álcool bem distinguíveis) enquanto o retrogosto traz calor e toffee, completando o conjunto de uma cerveja completamente deliciosa.

colorado10.jpg

Colorado Caium
– Produto: Premium American Lager
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4,5%
– Nota: 2,99/5

Colorado ICI 01
– Produto: Premium American Lager
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 4,5%
– Nota: 3,02/5

Colorado Appia
– Produto: German Weizen
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5,5%
– Nota: 2,75/5

Colorado Indica
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 7%
– Nota: 3,78/5

Colorado Demoiselle
– Produto: Porter
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6%
– Nota: 3,95/5

Colorado Berthô
– Produto: American Brown Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 8%
– Nota: 3,03/5

Colorado Vixnu
– Produto: Imperial IPA
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 9,5%
– Nota: 4,01/5

Colorado Ithaca
– Produto: Russian Imperial Stout
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 10,5%
– Nota: 4,18/5

colorado11.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *