Boteco: De Curitiba: Way, Bodebrown, Pagan

way.jpg

por Marcelo Costa

Um das cervejarias de grande destaque de 2012 – ano em que colocou no mercado a Roller Coaster IPA, a Double American Pale Ale, a Amburana Lager e um kit single hop –, a Way Beer lançou no 5ª Festival Brasileiro de Cervejas, em Blumenau, sua Avelã Porter, uma cerveja escura e de boa espuma que chamou bastante atenção no evento. No aroma, o malte torrado surge em destaque ao lado das notas de avelã, intensas e convidativas – como se você tivesse aberto um caixinha de Amandita. No paladar, no entanto, a força dos lúpulos cítricos norte-americanos embaralham as sensações sobre uma nuvem densa de malte torrado que remete a café. O Avelã, ainda assim, faz um charme no primeiro ataque, mas logo é soterrado pelo malte torrado, que domina daí em diante até o retrogosto, levemente amargo nos primeiros segundos, mas o final longo ainda permite ao avelã uma interessante revanche. Boa Porter!

cacau.jpg

Principal vencedora do I Concurso Brasileiro das Cervejas, em Blumenau, com 5 medalhas de Ouro, 2 de prata e 4 de Bronze, a Bodebrown estreou uma campeã: a dona de uma das 5 medalhas douradas foi a Cacau IPA, 1º lugar na categoria Chocolate Beer, e maior sucesso da feira (garrafas e barris esgotaram na sexta, 3º dia do festival, deixando aqueles que foram no sábado curiosos). Parceria dos curitibanos com Greg Koch, da cervejaria californiana Stone Brewing, a Cacau IPA traz em sua fórmula Cacau de Ilhéus torrado e triturado. A cor é um âmbar turvo. O creme é denso e persistente. No aroma, o cacau surge intenso ao lado das notas cítricas derivadas de lúpulo, incorporando maracujá e lima. Há, ainda, sensação de caramelo e, conforme a cerveja aquece, mais cítrico. No paladar, a doçura do Cacau (e do malte) suavizam o amargor do lúpulo, que chega a dominar a sensação em alguns momentos, e até se sobressai no retrogosto, mas não assusta desacostumados com IPAs norte-americanas. A sensação é de que Stone e Bodebrown conseguiram incluir doçura no amargor de uma IPA, e isso é o grande mérito desta belíssima cerveja.

450pagan.jpg

Para fechar este post paranaense, mais um rótulo premiado no 5ª Festival Brasileiro de Cervejas, em Blumenau: a Pagan India Pale Ale saiu do evento com a medalha de ouro na categoria respeitosa das English-Style India Pale Ale, também merecidamente. Os modelos Pagan Strong Bitter e Pagan Porter já mostravam uma queda da turma pelo modo inglês de produzir cervejas, o que essa Pagan India Pale Ale aka Valhala Incursion Ale apenas coroa. A cor é um acobreado levemente turvo, e a espuma de média formação. No aroma, o malte coloca notas de mel e caramelo como entrada para uma festa de lúpulos Goldings e Fuggles, que revelam frutas secas (ameixas), notas florais, herbais (grama molhada) e algo de madeira. O paladar traz um início equilibrado entre dulçor e amargor, mas depois vai bailando conforme a música no salão: um pouco de amargor frutado de um lado, um pouco de melaço de malte do outro, e segue o baile (com uma tendência clara aos primeiros dançarinos). O final é seco alternando percepção de amargor, doçura e sensação cítrica. Ótima!

As três cervejas já estão no mercado, podendo ser encontradas em bons empórios. A Way Avelã Porter sai entre R$ 9 e R$ 12 (garrafa de 310 ml) enquanto a Pagan India Pale Ale fica entre R$ 11 e R$ 13 (355 ml) e Cacau IPA sai entre R$ 20 e R$ 25 (garrafa de 300 ml).

Way Avelã Porter
– Produto: Porter
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 5,6%
– Nota: 3,27/5

Bodebrown Cacau IPA
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 6,1%
– Nota: 3,88/5

Pagan India Pale Ale
– Produto: India Pale Ale
– Nacionalidade: Brasil
– Graduação alcoólica: 7,1%
– Nota: 3,34/5

curitiba.jpg

Leia também
– Top 1001 Cervejas, por Marcelo Costa (aqui)
– Leia sobre outras cervejas (aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *