CDs: Smiths, Señor Flavio, Babasónicos

por Leonardo Vinhas

“Please, Please, Please – A Tribute to The Smiths” (American Laundromat Records)
Como muitas outras bandas na história, os Smiths inspiraram seguidores que não honram o legado da banda. A maioria das bandas que se diz influenciada por eles fica mais focada na choradeira do que na ironia ou no lirismo, e tende a confundir simplicidade melódica com pobreza musical. Pelo menos é isso que se deduz a partir dessa compilação de no-names do indie rock, que gravam versões lamurientas e arrastadas para os clássicos de Morrissey & Marr. Há duas exceções: Sixpence None the Richer joga “I Won’t Share You” para os anos 1960 e o Wedding Present, que foi chamado de “os novos Smiths” quando surgiram, equilibram vigor e angústia numa excelente “Hand In Glove”. As 18 canções restantes só podem provocar duas reações: tédio ou raiva. Talvez as duas juntas.

Preço: R$ 45 (importado)
Nota: 2

Leia também:
– A coletânea “The Sound of Smiths”, The Smiths, por Marcelo Costa (aqui)
– “Rank”, The Smiths: o Grande e Dançante Velório do Rock, por José Augusto Lemos (aqui)

“Nueva Ola”, Señor Flavio (Nacional Records)
Flavio CIanciarulo sempre foi o compositor “ensolarado” dos Fabulosos Cadillacs. As canções mais otimistas (e algumas das mais jazzísticas também) de sua banda levam sua assinatura, e sua carreira solo, que já soma 10 discos sob diferentes nomes, reflete esse fato. “Nueva Ola” tem um certo espírito “new wave”, tal como nós brasileiros costumamos entender o termo, com muito ska, surf rock e outros ritmos ligeiros, numa obra coesa e divertidíssima. Além disso, é seu LP com melhor produção. É um daqueles discos que dura o tempo certo de um bom pogo no meio da sala ou numa festa entre amigos, com hits de adesão instantânea, como “El Secreto”, “Olas” e “Dulce Babalú”. Destaque especial para o folkabilly “Buenos Tiempos para las Malas Canciones”, canção que captura de forma simples e certeira o zeitgeist da era das redes sociais.

Preço: R$ 40 (importado)
Nota: 8

Leia também:
– O retorno dos Fabulosos Cadillacs, por Leonardo Vinhas (aqui)

“A Proposito”, Babasónicos (Universal)
A primeira música de trabalho, “Deshoras”, sugeria um vaticínio de declínio na longa e ascendente carreira discográfica dos Babasónicos: um popzinho aguado e simplista, tal qual um refugo do Skank. Felizmente, o duende Dárgelos e seus asseclas entregaram um disco que vai muito além disso. Em tom mais confessional que o habitual, o disco equilibra dança e introspecção com o senso melódico único que é o forte da banda. “Tormento/Pulpito”, “Flora y Fauno” e “Ideas” são exemplos claros dessa combinação, e não por acaso as melhores faixas do disco. Baladas como “El Pupilo” e “En Privado” também fazem bonito. Entretanto, o falecido baixista Gabo Manelli continua fazendo falta: é inevitável pensar em como soaria o disco se seu baixo (e seus aportes na composição) estivessem presentes.

Preço: R$ 40 (importado)
Nota: 9

Leia também:
– Faixa a Faixa: “Anoche”, do Babasónicos, por Leonardo Vinhas (aqui)
– “Mucho”, Babasónicos: abraçando o pop perfeito, por Marcelo Costa (aqui)

– Leonardo Vinhas assina a seção Conexão Latina (aqui) no Scream & Yell e já escreveu sobre O Rock Argentino Depois De Cromañon (aqui) e entrevistou a banda Onda Vaga (aqui)

12 thoughts on “CDs: Smiths, Señor Flavio, Babasónicos

  1. Os discos dos Babasonicos e do Señor Flavio podem ser bons, mas as capas….
    Em todo caso, já estou baixando o do Señor Flavio porque gosto bastante dos Cadillacs.

  2. Na verdade, esse do Babasónicos é uma caixinha em formato de lábios… não que deixe muito evidente se os lábios são exatamente os da boca. Enfim, continua sendo uma capa pra lá de estranha. Mas não se assuste, são bons discos, e um fã de Cadillacs tem grande chance de gostar MUITO do Nueva Ola.

  3. Concordo plenamente sobre o tributo para Smiths, somente o meu idolatrado Wedding Present fez juz. Acho que nunca vi um bom tributo, sempre são bandas obscuras tentando se agarrar a oportunidade ou querendo dar uma de to nem aí e esquecem o principal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.