Boy Kill Boy, We Are Scientists e Forward Russia

O aterrorizante fantasma do segundo álbum. Você estava lá tocando com os amigos, foi contratado por uma gravadora, lançou um disco, e depois de algum sucesso percebeu que a vida continua, afinal, a diversão virou profissão. O que fazer? É nessa hora que alguns perdem o bonde da história. O Rakes é um bom exemplo recente (“Ten New Messages” é fraaaco); e se não fossem duas canções poderosas, o Bloc Party poderia integrar a lista com o desapontante “A Weekend In The City”. Agora é a vez de Boy Kill Boy, We Are Scientists e ¡Forward, Russia! enfrentarem o fantasma.

Após criar gemas pop como “Back Again”, “On and On” e “Six Minutes”, o Boy Kill Boy tropeça feio em “Stars and the Sea”. Se salva (com boa vontade) apenas a acústica “Two Souls”. Reduzido a um duo, o We Are Scientists também decepciona. Riffs sem graça e baterias eletrônicas bobinhas preenchem o novo álbum. Com bom humor, “After Hours” passa pelo crivo. E só. “Nobody Move, Nobody Get Hurt”, single do debute que é citado até pelos irmãos Cavalera, não tem concorrente em “Brain Thrust Mastery”.

Já o ¡Forward, Russia! mantém em “Life Processes” o clima do ótimo “Give Me a Wall”. A estranheza da estréia permanece (com exceção das canções denominadas como números e um pouco menos de tecladeira) na ótima “Don’t Reinvent What You Don’t Understand”, no punk do novo século “A Shadow Is A Shadow Is A Shadow” ou na épica faixa de encerramento de quase nove minutos, “Spanish Triangles”. Nada maravilhoso, mas perto da concorrência…

“Stars And The Sea”, Boy Kill Boy (Mercury)
Lançamento oficial: 31 de março
Preço em média: $50 (Importado)
Nota: 4

“Brain Thrust Mastery”, We Are Scientists (EMI)
Lançamento oficial: 17 de março
Preço em média: $50 (Importado)
Nota: 5

“Life Processes”, ¡Forward, Russia! (Cooking Vinil)
Lançamento oficial :14 de abril
Preço em média: $55 (Importado)
Nota: 7

7 thoughts on “Boy Kill Boy, We Are Scientists e Forward Russia

  1. Vc jah conseguiu ouvir estes álbuns!? Como eu não descolei ainda não sei como ficaram…esperava alguma coisa legal do WAS pelo menos….quanto ao Bloc Party, acho q dá pra salvar quase metade do “A Weekend in the City”..de qualquer forma o Silent Alarm também é metade muito %!@$&@#e o resto é uma %!@$&@#

  2. Marcelo, você tinha mesmo alguma expectativa de bons discos do Rakes e Bloc Party? O rock hoje é uma pastiche mal realizado. Pouca coisa nova se salva, essa é a realidade.

  3. “e se não fossem duas canções poderosas, o Bloc Party poderia integrar a lista com o desapontante “A Weekend In The City”. ”
    Pow, pegou pesado,cara…rs
    Ainda q não seja ótimo o álbum ainda é melhor que muita coisa por aí e sinceramente acredito q o nível tenha diminuído apenas para eles cumprirem contrato, prazo, sei lá…Aguardemos o próximo passo, eu acredito na banda!

  4. Cara,vc conseguiu ouvir esses albuns com boa qualidade????Aonde?????Me diz aí,porque estou já tem tempo atrás do novo do Boy Kill Boy,louco pra ouvir.Se for possível me diz aonde vc conseguiu o album com boa qualidade.

  5. E aí Marcelo,vou falar do Bloc Party e do Was:
    Eu acho o albúm A Weekend in the City muito bom…claro que não conseguiu superar o Silent mas tem várias canções muito boas como Waiting 7.18,Uniform,Hunting for Witches,On e I Still Remember!
    O novo do WAS no ínicio pareceu meio estranho,mas com o tempo você percebe que é um albúm sensacional…Lethal Enforcer é o principal destaque ao meu ver!!
    Finalizando,parabéns pelo seu blog cara,está demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.