Blog do Editor: Cinco monólogos clássicos do cinema

por Mac

Acabei de assistir (mais uma vez) “Apocalipse Now Redux”, esta obra prima de Francis Ford Coppola, considerada por muitos como o melhor filme de guerra de todos os tempos. Lamento não ter conseguido ver no cinema quando de seu relançamento, mas são tantas cenas poderosas, tantas passagens antológicas que, logo após ao filme, me lembrei de uma eleição anos atrás que apontou o monólogo de Robert Duvall sobre o Napalm como o melhor do cinema em todos os tempos.

Particularmente acho que a abertura de “Annie Hall” merecia uma vaga entre os cinco (e mesmo Rick falando sobre Paris em “Casablanca” tem um lugar no Top Ten), mas que essa fala de Duvall é clássica não há como discutir. Não vi “Uma Questão de Honra”, que ficou com o segundo lugar, e acho as três escolhas seguintes irrepreensíveis. Só para ter uma ideia, tenho em casa o roteiro de “Pulp Fiction” e de “Trainspotting”, sendo que a fala deste último também abre o Scream & Yell em papel número 6. Confira a lista.

1. Robert Duvall, Apocalypse Now (1979)
“You smell that? Do you smell that? Napalm, son. Nothing else in the world smells like that. I love the smell of napalm in the morning. You know, one time we had a hill bombed, for twelve hours. When it was all over I walked up. We didn’t find one of ‘em, not one stinkin’ dink body. The smell, you know that gasoline smell, the whole hill. Smelled like… victory.”

Você consegue cheirar isto? Cheire isto? É Napalm, filho. Nada no mundo tem um cheiro semelhante. Adoro o cheiro de napalm pela manhã. Sabe, uma tarde bombardeamos uma colina por doze horas. Quando tudo acabou eu subi a colina. Não encontramos um deles, nem sequer um corpo mal cheiroso. O cheiro, você sabe aquele cheiro de gasolina, toda a colina…. cheirava a vitoria.”

2. Jack Nicholson, A Few Good Men (1992)
“You can’t handle the truth! Son, we live in a world that has walls, and those walls have to be guarded by men with guns. Who’s gonna do it? You? You, lieutenant Weinberg? I have a greater responsibility than you can possibly believe. You weep for Santiago, and you curse the Marines. You have that luxury. You have the luxury of not knowing what I know – that Santiago’s death, while tragic, probably saved lives; and my existence, while grotesque and incomprehensible to you, saves lives.”

“Você não aguenta a verdade! Filho, vivemos em um mundo que tem paredes. E essas paredes são guardadas por homens com armas. “O que você vai fazer? Tu? você, Tenente Weinberg? Eu tenho uma responsabilidade maior do que vocês podem acreditar. Você limpa para Santiago, e você fala mal dos Marines. Você pode dar-se a esse luxo. Você tem o luxo de não saber o que eu sei – Que a morte de Santiago, embora trágica, provavelmente salvou vidas; e minha existência, embora grotesca e incompreensível para si, salva vidas.”

3. Samuel L Jackson, Pulp Fiction (1994)
“The path of the righteous man is beset on all sides by the inequities of the selfish and the tyranny of evil men. Blessed is he who, in the name of charity and good will, shepherds the weak through the valley of darkness, for he is truly his brother’s keeper and the finder of lost children. And I will strike down upon thee with great vengeance and furious anger those who attempt to poison and destroy my brothers. And you will know my name is the Lord when I lay my vengeance upon you.

“O caminho do homem de bem é cercado por todos os lados pelas iniqüidades dos egoístas e a tirania dos maus. Abençoado aquele que, em nome da caridade e boa-vontade, pastoreia os fracos pelo vale das trevas. Pois é verdadeiramente o guardião de seus irmãos e salvador dos filhos perdidos. E irei cair com grande vingança e ira sobre todos os que tentarem envenenar e destruir meus irmãos. E você saberá que eu sou o Senhor quando minha vingança o abater.”

4. Ewan McGregor, Trainspotting (1996)
“Choose life. Choose a job. Choose a career. Choose a family, Choose a big television, Choose washing machines, cars, compact disc players, and electrical tin openers. Choose good health, low cholesterol and dental insurance. Choose fixed-interest mortgage repayments. Choose a starter home. Choose your friends… Choose your future. Choose life.”

“Escolha a vida. Escolha um trabalho. Escolha uma carreira. Escolha uma família, escolha uma televisão grande, escolha máquinas de lavar, carros, aparelhos de CD, e abre-latas eléctricos. Escolha uma boa saúde, o colesterol baixo e o seguro dental. Escolha empréstimos de taxa fixa. Escolha uma casa. Escolha seus amigos… Escolha seu futuro. Escolha a vida.”

5. Mel Gibson, Braveheart (1995)
“You have come to fight as free men, and free men you are. What will you do with that freedom? Will you fight? Aye, fight and you may die, run and you’ll live. At least a while. And dying in your beds many years from now, would you be willing to trade all the days from this day to that for one chance, just one chance to come back here and tell our enemies that they may take our lives, but they’ll never take our freedom!”

“Vocês vieram lutar como homens livres, e homens livres vocês são. Que farão com essa liberdade? Você lutará? Aye, luta e podes morrer, fuja e você viverá. Ao menos por enquanto. E morreram em suas camas muitos anos à frente, você estaria disposto negociar todos os dias deste dia àquele para uma possibilidade, apenas uma possibilidade voltar aqui e dizer a nossos inimigos que podem tirar as nossas vidas, mas nunca nos tirarão a nossa liberdade!”

Ps. Woody Allen, Annie Hall (1977)…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *