The Autumn Defense, Rilo Kiley e Stereo Total

por Marcelo Costa

“The Autumn Defense”, The Autumn Defense (Broadmoor)
John Stirratt é baixista do Wilco. Pat Sansone é multi-instrumentista, e entrou no Wilco durante a turnê do álbum “A Ghost Is Born”. Juntos formam o The Autumn Defense, cujo este álbum homônimo (terceiro do duo) deverá emplacar – merecidamente – várias listas de melhores do ano. A praia da dupla é o rock regressivo que o Wilco mostrou em “Sky Blue Sky”, e em alguns momentos – como “Spend Your Life” – os superam. Em outros, tocam como se pescassem estrelas. Música calma para corações roqueiros.

Nota: 9
Preço em média: R$ 55 (Importado)

“Under the Blacklight”, Rilo Kiley (Warner)
Ahhh, o sonho eterno dos 15 minutos de fama. Após três respeitados – e bons – álbuns independentes, e uma folga para projetos paralelos (que rendeu, em 2006, o excelente “Rabbit Fur Coat”, solo da vocalista Jenny Lewis), o Rilo Kiley retorna de contrato com uma major e um álbum que sugere um crossover de Cardigans com Goldfrapp. Ficaram no passado as influências country e folk; entra em cena um pop simpático, mas ordinário, que ameaça se transformar em algo grande, mas o disco fica longe disso.

Nota: 5
Preço em média: R$ 45 (Importado)

“Paris-Berlin”, Stereo Total (Kill Rock Stars)
Dois anos atrás, eu estava em um bar quando percebi Françoise Cactus e Brezel Göring na mesa ao lado. Brezel estava folheando um exemplar em xérox do livro “A Divina Comédia dos Mutantes”. Isso diz muito sobre a música bacana deste duo franco-germano, que chega ao nono álbum esbanjando inteligência. “Paris-Berlin” é cantado em seis línguas, versa sobre “amor, rebelião e nostalgia” e continua chocando chanson francesa, rock de garagem e synth-pop de forma genial. Agora é esperar o show imperdível.

Nota: 7,5
Preço em media: R$ 45 (Importado)

6 thoughts on “The Autumn Defense, Rilo Kiley e Stereo Total

  1. Olá, descobri hoje seu blog. Ótimos comentários. engraçado que dois dos três discos que tu colocou no 500 toques eu também tinha comentado em meu blog recentemente. Vou linkar o Revolution lá.
    Abração

  2. Esse disco do Autumm Defense ta bom mesmo…ja passou um bom tempo tocando por aqui…mas ele é menor do que as obras primas anteriores “The Green Hour” e o “Circles”…
    Abs,
    🙂

  3. Como ultimamente eu ando com um espectro do Sky Blue Sky em meus pensamentos, fiquei muito curioso com a breve resenha do Autumn Defense… essa coisa de “tocam como se pescassem estrelas. Música calma para corações roqueiros” é um bálsamo para meu ouvidos!!!

  4. A crítica do último álbum do Rilo Kiley não procede. Qual a culpa em querer ser pop ? Afinal, só se salva o indie ? O disco é redondo, coeso, festivo, sunkissed, e um pouco pretensioso, o que não é necessariamente ruim. Ademais, Under The Blacklight nos dá a melhor música do ano: “The Dreamworld” é boa prá cacete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.