Elis – Edição Especial, Elis Regina

Elis – Edição Especial, Elis Regina (Trama)
Preço em média: R$ 49 (CD+DVD)

Elis Regina é a maior cantora que esse país já teve. Ponto. Cada relançamento de sua obra lança luz sobre a grandiosidade de sua técnica vocal, mas não só isso: DVDs como os que trazem o programa “Ensaio 1973”, lançado em 2004, e este “Elis – Edição Especial”, que chegou às lojas no final do ano – e traz como bônus a última entrevista da intérprete, no programa Jogo da Verdade, da TV Cultura, quinze dias antes de sua morte – mostram uma mulher de fibra, dona de seu próprio destino (mas “com três filhos pra criar”), com um raciocínio rápido e completamente acachapante. Anos acompanhando cantoras que nada tem a dizer transformam estes documentários em relíquias da cultura de massa nacional.

Porém, estes documentários que flagram Elis “filosofando” sobre coisas como a indústria da música, a cena independente que estava nascendo, a descaracterização de uma cultura, e muito mais, são apenas a cereja do bolo, cujo principal recheio continuam sendo suas majestosas interpretações. “Elis – Edição Especial” resgata o último álbum oficial da cantora, lançado em 1980, e que já sido reeditado pela EMI em 2002, com quatro bônus (a saber: “Tiro Ao Álvaro” com Adoniran Barbosa; “Se Eu Quiser Falar Com Deus”; “O Que Foi Feito Devera” com Milton Nascimento; e “Outro Cais”, com Os Borges).

Nesta nova reedição, luxuosa, da Trama, saem os duetos com Adoniran, Milton e Os Borges (presentes em outros lançamentos), e entram uma extraordinária versão estendida de “Se Eu Quiser Falar Com Deus” (Gilberto Gil), que havia sido gravada nas mesmas sessões do álbum, mas só foi lançada posteriormente, em compacto, e mais cinco bônus (três faixas instrumentais e duas a capella, ótimas para se prestar atenção ao alcance vocal da Pimentinha). Assim como foi feita na remasterização de “Elis & Tom”, neste “Elis – Edição Especial”, o álbum surge remasterizado com áudio 5.1 no DVD, e também foram acrescidos segundos interessantes em várias canções, muitos marcando a entrada de Elis na canção (Exemplos: “Aprendendo a Jogar” pulou de 4m10s para 4m43s; “Se Eu Quiser Falar Com Deus” saltou de 4m17s para 5m32, registrando um longo improviso vocal da cantora).

Agora é só esperar o – prometido – relançamento remasterizado de “Falso Brilhante”, um dos três álbuns definitivos de Elis Regina, nos mesmos moldes luxuosos de “Elis & Tom” e “Elis – Edição Especial”. Até lá, a gente segue vivendo e aprendendo a jogar.

12 thoughts on “Elis – Edição Especial, Elis Regina

  1. Elis regina é uma tremenda aula de interpretação musical para quem quer cantar . Que venham as Ivetes , as Mercurys , as Joelmas , que mais vier . Mas Elis é o parâmetro .

  2. Finalmente mais um DVD da nossa grande Elis. Até os filghos dela tem mais dvds que a mae. E nao venham me dizer que ela nao tem material para ser lancado pois ela desde os 18 anos de idade ja estava a toda na tv brasileira. Vamos dar a esse genio o reconhecimento devido! DVD de toda a obra da Elis!

  3. falou e disse> “a maior cantora que o Brasil já teve”. Pena que seus herdeiros metidos a cult não tenham dado seqüência à dinastia (rs), lançando trabalhos malas, chatos e pretensiosos, beirando o insuportável (e tem gente q idolatra). Elis é única…

    e minha mãe eé fá número 1 dela hehehe

    abços

  4. Tá todo mundo aguardando a reedição do “Falso Brilhante”, e eu tenho uma gravação do mesmo, na íntegra, capturado na platéia com um gravador cassete no dia 01.12.76, e com boa qualidade. Pq será q ainda não foi lançado esse material ao vivo?

  5. Simplesmente FANTÁSTICA.Cada vez que vejo Elis assim entendo porquê ela se foi tão cedo:este mundo terrestre é pequeno demais pra uma estrela dessa grandeza.

  6. Elis é realmente o referencial de música no Brasil. Mas não concordo com o comentário que disse que os herdeiros dela são metidos a cult. Não Pedro Mariano.Conhece a obra dele? Nããão? que pena…Então só depois de ouvir e não se apaixonar venha malhar …por favor estamos fartos de achismos!!!!!

  7. Elis foi, é e sempre será a maior cantora do Brasil e umas das 05 melhores do mundo em toda história da humanidade.Minha mãe a viu cantar no Festival de Montreux na Suíça na década de 70 e ela relata que nunca se esquecerá desse Show.Cresci ouvindo Elis e assistia, ainda pequeno, os especiais da Globo(1980) e Band (79).Na época tinha 7 e 8 anos respectivamente. Lembro com tristeza de sua morte porque foi a primeira vez que tive contato com a morte e da dor de minha mãe.AMO ELIS PARA O RESTO DE MINHA VIDA!

  8. Desafinando o coro dos contentes, acho a Elis Regina chata pra cacete!
    A filha dela é melhor que ela.
    A melhor cantora do país de todos os tempos chama-se Marisa Monte.

  9. Tanto tempo sem ver a Elis ao vivo me deu até calafrios… isso pq vc vê que a Maria Rita imita TODOS os trejeitos da mae… chega a ser ridiculo e me dá vergonha, mas enfim…
    Elis é realmente unica… junto com ela, eu destaco Clementina de Jesus e Clara Nunes, outras 2 feras, cada uma a seu modo, na minha opinião.
    PS: detalhe para a Elis “colando” as estrofes da musica que estão escritas na palma da mao dela… essa mulher tinha as manhas… rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.