Três discos: Neil Young, Super Furry Animals e Mudhoney

por Marcelo Costa

“Are You Passionate?” – Neil Young (Warner)
Um disco novo de Neil Young é sempre uma incógnita. “O que o cara vai fazer dessa vez?” é sempre a pergunta. Dessa vez, a viagem de Neil é amparar-se no som da Stax (velha rival da Motown nos bons tempos do soul) e na presença de Booker T Jones para discursar sobre… amor. Are You Passionate? ele pergunta logo na capa. Uma guitarrinha sem vergonha bate cartão em quase todas as músicas, assim como quase todas as músicas carregam a alma de Neil, que também pode ser a minha ou a sua alma. Entre baladas bluezy (Mr. Disappointment, a grande canção do álbum, um dueto entre Neil e Booker T), rocks barulhentos (Going Home, com a Crazy Horse, claro) e épicos de oito minutos (Shes a Healer), Neil Young emociona como poucos em seu 38º álbum de carreira.

Nota: 8

“Rings Around The World” – Super Furry Animals (Epic)
No quinto álbum de sua carreira, o Super Furry Animals deixa de lado as brincadeirinhas tecnológicas que marcaram os ótimos “Radiator” e “Guerilha” como também a veia rock exposta no bom “Mwng”. “Rings Around The World’ é leve, melódico e… soul. Os galeses juntaram uma pequena orquestra com cellos, violas, flautas, trumpetes e violinos para criar o clima do álbum. O primeiro hit, “Juxtaposed with U” lembra Prince, no título e na melodia. Se fosse para definir “Rings Around The World” em apenas uma palavra seria: sexy. Não bastasse ser um dos melhores álbuns de 2001, a versão americana traz um cd bônus com sete faixas, entre elas “Patience” e “Happiness Is a Worm Fun”, brincadeiras galesas das boas.

Nota: 8

“Superfuzz Bigmuff plus Early Singles”, Mudhoney (Trama)
Questão de 14 anos atrás (o tempo passa, hein), a semi desconhecida Sub Pop lançava um ep de seis faixas de um dos grupos mais comentados da casa até então (não, não estamos falando do Nirvana). Para batizar a obra, nada mais propicio que o nome dos dois pedais de distorção preferidos do grupo: assim nasceu “Superfuzz Bigmuff”, hoje, uma das obras primas do que se convencionou a chamar de grunge. Tempos depois, a gravadora ainda juntou os obrigatórios primeiros singles do Mudhoney e a versão que chega ao Brasil traz doze faixas com o subtítulo “Plus Early Singles” gravadas entre o verão de 88 e o começo dos anos 90. Abre com o single de estreia, “Touch Me I’m Sick”, traz a cover clássica do The Dicks, “Hate The Police”, que foi o single seguinte, mais uma cover do Sonic Youth, “Halloween”, entre outras das melhores garageiras que o Mudhoney lançou na carreira. Discoteca básica, entende.

Nota: 10

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.