Blog do Editor do Scream & Yell
Random header image... Refresh for more!

Oito pubs de cervejarias nos EUA

A edição de fevereiro da revista Alfa (com Chico Buarque na capa) trazia uma interessante reportagem sobre o Vale das Cervejas, no Estado do Colorado, região que tem, contada, 74 microcervejarias (leia, depois, aqui – hehe). Não fui a nenhuma dessas cervejarias na viagem, o que não quer dizer que me rendi ao império Inbev, muito pelo contrário, e abaixo listo (em cada uma das cidades pelas quais passei) bares cervejarias que valem muito a sua visita.

pub1.jpg

Blackstone Restaurant & Brewery, Nashville
O agito na capital do folk acontece na Broadway Street e na Second, com diversos bares e pubs oferecendo versões novas de Taylor Swift e velhas de Johnny Cash, a maioria tocando repertório próprio e tentando a sorte. No começo da Broadway Street há uma filial concorrida da Rock Bottom (texto mais abaixo), mas vale sair do centro da cidade (de preferência de taxi) para conhecer a Blackstone Restaurant & Brewery, cervejaria a cerca de 10 minutos da área da bagunça, com seis cervejas próprias e um bom número de pratos no cardápio. Minha preferida foi a American Pale Ale, levemente amarga, mas com presença boa de malte equilibrando o conjunto. As premiadas Nut Brown Ale (esforço conjunto do brewmaster da casa com o cervejeiro caseiro Dave Miller) e Chaser Pale (uma interessante Kölsch, estilo alemã pouco explorado) entram no páreo pela briga do primeiro lugar. Há ainda uma Porter (St. Charles Porter), uma American Brown Ale e uma West Coast IPA (Hop Jack).

http://www.blackstonebrewery.com/

450flying.jpg

The Flying Saucer, Memphis  (e mais 15 cidades)
A manchete do cardápio, em formato jornal, avisa: “A missão do Saucer é abastecer a comunidade com uma vasta seleção de cervejas artesanais do Tennessee e do resto do mundo”.  E eles levam a missão a sério. São mais de 200 cervejas e uma lousa que informa de aquisições recentes e promoções. O local é enorme, próximo a Beale Street, e seu teto é forrado por pratos com o nome de quem conseguiu alcançar a pontuação máxima no arremesso de dardo do local. “Você pode tentar três vezes”, informa a garçonete. Além da vasta seleção há as “Saucer Flights”, oito tours cervejeiros, cada um com cinco rótulos, por 10 dólares. O primeiro (Around The World) apresenta cervejas de cinco países; o segundo (The Dark Side) reúne cinco cervejas que valorizam o malte torrado; há ainda um tour europeu, outro norte-americano, um apenas para lúpulo-maníacos, outro para fãs de fruit beers e cidras e o que escolhi, “Around The Hood”, com cinco cervejarias locais. Na minha seleção veio uma Abita Purple Haze (aroma frutado e paladar que remete a Chardonnay), a tradicional Blackstone St. Charles Porter, uma Yazoo Dos Perros (leve, mas lupulada e com notas amadeiradas), uma Lazy Magnolia Southern Pecan (brown ale com nozes) e, fechando, uma herbal O’Fallon Hemp Hop Rye (sim, com marijuana). Em Memphis ainda vale beber algumas no Local Gastro Pub.

http://www.beerknurd.com/

crescent.jpg

Crescent Brewhouse
Primeiro brewpub de New Orleans (aberto em 1991), a Crescent Brewhouse oferece um tour pelos seus cinco rótulos abrindo com uma Pilsner bem tradicional, seguida por uma Red Stallion (Vienna Lager bem maltada e aromática), pela Black Forest (tradicional estilo Munique) e uma Weiss, a minha preferida do tour. As quatro são fixas na produção da cervejaria, e há uma quinta, sazonal, que eles vão mudando conforme a vontade do brewmaster. Neste tour era uma IPA levemente amarga. As cinco cervejas são boas, mas nenhuma impressiona. Ainda assim, o tour é um ótimo acompanhante para os bons pratos da casa. Você pode conferir o menu no site abaixo.

http://www.crescentcitybrewhouse.com/

elevator.jpg

Elevator Brewery And Draught, Columbus
A chance de você passar pela simpática capital do Estado de Ohio é pequena, mas se acaso acontecer, a High Street é a rua que você precisa encontrar. Dois bons pubs cervejarias estão ali: a Barley’s Brewing (nº 467), que além de cervejas direto do barril tem no cardápio a ótima Blue Moon e bons sanduíches, e a preferida da casa, Elevator Brewing. Em uma bela mansão de 1897, assombrada por fantasmas e espíritos (segundo o cardápio), o pub exibe uma lista extensa que mantém, ao menos, 12 tipos de cerveja diferentes escorrendo pelas torneiras. Você pode arriscar entre alguma dos cavalos de batalhas da cervejaria (Dark Horse, medalha de bronze em torneio, a Procastinator Doppelbock ou a demente Hours Imperial Red Ale, de 11% de graduação alcoólica) ou pedir um sampler com três (US$ 4,50) ou seis (US$ 9) cervejas do cardápio. Minha preferida: Three Frogs, uma IPA de responsa.

http://www.elevatorbrewing.com/

magnolia1.jpg

Magnolia Pub and Brewery, São Francisco
Sob o comando do brewmaster Dave McLean, o Magnolia Pub não é só o lugar que vende brownie de chocolate com bacon de sobremesa. Todas as cervejas do cardápio são feitas na casa (são quase 20, embora algumas sejam sazonais) e os destaques são a poderosa Pride to Branthill, uma english strong ale de corar a alma com 9% de graduação alcoólica, mas deixe-a para a segunda ou terceira rodada (senão as outras soaram apagadas, menores), a Piper Pale Ale (5,2%) e a encorpada Stout of Circustance. Eles ainda têm uma Cole Porter no cardápio e uma sazonal bastante interessante: Magnolia Bonnie Lees Best Bitter. O fish and chips (tradicionalíssimo com fritas bravas e muito óleo) é ótimo. Pub com jeitinho de decadente, mas muito bem freqüentado, o Magnolia fica numa esquina da Haight Street, 1398, no bairro da contracultura.

http://www.magnoliapub.com/

barneys.jpg

Barney’s Beanery, Los Angeles
Esqueça a Calçada da Fama. Este é o lugar obrigatório (junto com a Amoeba) a se passar em LA. Pub bacana que em suas mesas viu desde Marilyn Monroe comer sanduíche, Jimi Hendrix conversar com Janis Joplin pela última vez antes da overdose, e Quentin Tarantino rabiscar o roteiro de “Pulp Fiction” (entre outras coisas), e que hoje em dia está lotado de TVs passando jogos de basquete, hóquei e beisebol – além de ter mesas de bilhar. De produção própria só tem a boa cerveja que leva o nome da casa, mas o cardápio tentador tem mais de 200 marcas divididas entre EUA e Estrangeiras e entre torneira e garrafa. No cardápio (veja aqui e aqui) tinha uma Monty Python’s Holy Grail inglesa (que estava em falta), que me deixou curioso (essa da foto é uma Pyramid Hefe, do Havaí). A comida é bem boa – destaque para o chilli. São cinco filiais, mas a original é a da Santa Monica Boulevard, 8447, em West Hollywood, trecho histórico da Route 66.

http://www.barneysbeanery.com/

rock.jpg

Rock Bottom, Chicago (e mais 30 cidades)
Pub cervejaria com mais de 30 filiais pelos Estados Unidos, a Rock Bottom de Chicago tem uma boa localização (na saída do metrô Grant, Red Line, na Magnificent Mille) e belíssimas cervejas no cardápio em um ambiente bem legal que se divide entre pub e restaurante. O mestre cervejeiro Chris Rafferty defende que uma boa cerveja se faz unindo as tradições com criatividade. Isso lhe rendeu dezenas de prêmios, como duas medalhas de ouro na Copa do Mundo de Cervejas em 2010. Assim como na Elevator, aqui você pode pedir um sampler com seis cervejas da casa antes de optar por um belo pint. Numa votação entre amigos (eu, Renato e Carlos), a Special Dark, uma stout com vários prêmios e muita personalidade, saiu vencedora, mas a clássica IPA, a ótima Red Ale e a encorpada Bock também podem fazer você feliz. Todo mês, Chris apresenta uma cerveja especial para o cardápio. Vale ficar atento.

http://www.rockbottom.com/chicago/

brooklyn1.jpg

Brooklyn Brewery, Nova York
A Brooklyn não é um pub, mas tem como beber cerveja lá. Uma das melhores cervejarias americanas tem casa no Brooklyn (muito fácil chegar de metrô) e faz concorridos tours de experimentação (incluindo títulos que não são encontrados no mercado) durante vários dias da semana no verão, além de ter um boliche, em que você pode jogar com os amigos bebendo direto dos barris fresquinhos. O grande mestre cervejeiro Garrett Oliver conseguiu dar às cervejas da Brooklyn uma característica que une todas as marcas do grupo, sem descaracterizá-las de sua essência. Assim, a Pale Ale deles é maravilhosa, mas tem algo que faz você saber que é uma Brooklyn. Esse mesmo algo, por exemplo, marca as monstruosas Monster Ale e Brooklyn Blast, de teor alcoólico elevado (10% a primeira, 9% a segunda) e muita personalidade. Visite a casa da melhor cerveja americana (grifo meu) na 79 North 11th Street, em Nova York, e muito cuidado com essas fichinhas da foto…

http://www.brooklynbrewery.com/

Veja também:
- Diário EUA 2011: http://screamyell.com.br/blog/category/eua-2011/
- Fotos da viagem: Flickr do Marcelo (aqui) e Flickr do Renato (aqui)
- Top 25 de cervejas da viagem (aqui) e Top 100 de cervejas (aqui)

2 comentários

1 marcel { 04.27.11 at 7:27 pm }

ainda não rolou a tradicional foto com os cds da viagem né?

2 Rodrigo R { 09.23.13 at 9:57 pm }

Recomendo fortemente a Two Brothers Roundhouse, em Aurora-IL. Além da cerveja excelente, eles têm um hamburger fenomenal. Fica a 1 hora de Chicago, perto do maior outlet daquelas bandas.

Faça um comentário