Blog do Editor do Scream & Yell
Random header image... Refresh for more!

Posts from — Setembro 2009

Uma foto de viagem e outras lembranças

paris.jpg

Não lembro se cheguei a comentar quando estávamos em Paris, mas uma coisa muito bacana que nos surpreendeu foi topar várias vezes durante a semana com pequenos grupos de crianças em idade pré-escolar passeando pela cidade com orientadores. Aconteceu, no mínimo uma cinco vezes, e tanto eu quanto Lili ficamos surpresos em ver tanto pedaço de gente enfrentando a vida pelas ruas parisienses.

Eles andavam de mãos dadas, um responsável imediato pelo outro, e cheguei a achar que num grupo – que entrou conosco no mesmo ônibus que seguiu para o Museu Picasso – haviam algumas crianças de 2 ou 3 anos experimentando uma aventura sem os pais. Esse registro acima eu fiz no Louvre. Percebam o cuidado de um com o outro e a atenção de todos com a professora explicando algo do quadro.

Não lembro exatamente a primeira vez que entrei em um museu. Acho que foi depois dos 16 anos, quando sai de Taubaté para São Paulo para ver alguma exposição no Masp. E não foi coisa de colégio. Não consigo lembrar se fora a viagem dos formandos da 8ª série fizemos alguma outra, juntos. E olhando a foto senti uma ponta de saudade de algo que eu não tive e que nem sabia que poderia ter sido tão especial…

Leia também:
- Diário Europa 2009, por Marcelo Costa (aqui)

Setembro 19, 2009   2 Comments

A nova revista de André Forastieri

Setembro 18, 2009   1 Comment

A volta do Pavement e da Legião Urbana

A turma de Stephen Malkmus anunciou oficialmente que volta aos palcos em 2010, mais precisamente no dia 21 de setembro do ano que vem para um show no Central Park, em Nova York. Haverá mais shows além deste, mas os integrantes já adiantaram que a reunião é temporária. Ou seja: a grana da poupança está acabando e é melhor fazer outro pé de meia. Se Damon Albarn pode, Stephen Malkmus também tem direito.

Já a “Legião Urbana” retorna aos palcos neste domingo, no festival Porão do Rock, em Brasília. Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá sobem ao palco acompanhados de Toni Platão e a noitada ainda poderá contar com a participação de Herbert Vianna, Roberto Frejat, Dinho Ouro Preto e Philipe Seabra. Ou seja: a grana da poupança está acabando e é melhor fazer outro pé de meia. Se o Doors pode excursionar com Jim Morrison a sete palmos do chão, a Legião também tem direito, vai.

 Não sei, mas já está na hora do mundo acabar, você não acha? Alguém ai em cima, aperta o botão.

Setembro 17, 2009   9 Comments

Uma frase

‘E só dentro de um hospício se vive na América
Viver num hospício é melhor que num pardieiro?”

Cadão Volpato

Setembro 16, 2009   1 Comment

Para quem gosta de fotografia

Vale dar uma olhada e babar no álbum de fotos que compila as 41 melhores imagens de 2008 da revista alemã Spiegel. Abaixo seguem três que adorei (embora a 11, a 29, a 35 e a 39 tenham entrado no páreo). A galeria toda está aqui.

spiegel1.jpg

spiegel2.jpg

spiegel3.jpg

Aproveitando, o Sesc Pinheiros abre para o público nesta quinta-feira (17) a exposição “Henri Cartier-Bresson: Fotógrafo”. Saiba mais aqui.

Setembro 16, 2009   No Comments

Ingressos para o Franz à venda na quinta-feira

Prepare o bolso. Começa na quinta-feira, a partir das 16h, a venda de 500 ingressos para o show único que o Franz Ferdinand faz em São Paulo, dia 30 de setembro no The Week. Cada um ao preço de R$ 260 (R$ 130 a meia) + taxa de conveniência de 15%.

O show é um patrocínio da vódega Smirnoff, que irá ter mais 200 convidados e sorteará 150 ingressos em um concurso cultural pelo site (http://www.smirnoff.com) da marca. Basta responder: “O que faria você dizer ‘Eu estive lá’ depois do show do Franz Ferdinand?” para participar.

Os 500 ingressos compráveis podem ser adquiridos a partir de quinta no site do Ingresso Rápido, por telefone (4003-1212) e em pontos físicos (veja mais no www.ingressorapido.com.br). Venda de meia-entrada somente contra a apresentação da carteira de estudante no ato da compra, em qualquer dos pontos físicos de venda.

Setembro 16, 2009   No Comments

Hitchcock ganha box especial com 14 filmes

“Hitchcock – The Ultimate DVD Collection”

A Universal coloca à venda exclusivamente na FNAC o box “Hitchcock – The Ultimate DVD Collection”, com 14 longas do diretor: “Psicose”, “Um Corpo que Cai”, “Os Pássaros”, “O Homem que Sabia Demais”, “Janela Indiscreta”, “Cortina Rasgada”, “Festim Diabólico”, “Trama Macabra”, “Frenesi”, “Sabotador”, “Topázio”, “A Sombra de Uma Dúvida”, “O Terceiro Tiro” e “Marnie: Confissões de Uma Ladra”.

Assumo que sou um devedor em se tratando de Hitchcock. Da lista acima assisti apenas a “O Homem que Sabia Demais”. E até fico feliz que outros que assisti não estejam na caixa, coisas como os geniais “Ladrão de Casaca“ e “Pacto Sinistro“ (este último saiu na coleção da Folha e também circula por ai em uma edição recheada de extras). O preço, no entanto, é meio proibitivo: R$ 299,90 (cerca de R$ 21 por filme).

Na Livraria Cultura, os boxes quádruplos Coleção 1 (”Janela Indiscreta”, “Os Pássaros”, “O Homem que Sabia Demais” e “Topázio”) e Coleção 2 (”Um Corpo que Cai”, “Festim Diabólico”, “Frenesi” e “Psicose) saem por R$ 44 e R$ 42,40, respectivamente (no Submarino, a Coleção 1 sai por R$ 34,90, mas eles não tem a 2). Ou seja, vale pesquisar. Um dos pseudos atrativos do box da Fnac é que a caixa ainda oferece ao consumidor uma camiseta da coleção.

Terminando de ler “Conversas com Woody Allen”, do Eric Lax, que está indo para a parte final (a melhor do livro), quero ver se embalo nas leituras de cinema com “Hitchcock/Truffaut: Entrevistas”, série de registros que François Truffaut idealizou e realizou durante as décadas de 50 e 60, lançado primeiramente em 1967 e depois revisto em 1983. A Companhia das Letras lançou o livro no Brasil em 2004. Vamos ver.

Setembro 16, 2009   7 Comments

Vivendo uma tragédia moderna

computador.jpg

 Semana passada resolvi formatar o diretório D do meu computador, e para isso tirei uns 80 gigas de MP3 que estava lá e passei para o computador de Lili assim como pastas com velhas fotos e algumas dezenas de back-ups. Os dois últimos, por precaução, deixei também no desktop do meu computador, mas os MP3 não houve jeito porque não havia espaço suficiente. Porém, após apagar tudo que havia no meu diretório D, não consegui de forma alguma formata-lo. Melhor chamar um profissional, certo.

Pedi para Lili contatar o técnico que montou o computador dela, e desencanei. E não é que chego hoje em casa, ligo os dois computadores, e no dela aparece insistentemente a mensagem acima? Dei uma busca no google e as notícias não me pareceram animadoras. Na verdade lembra muito um médico falando de alguma coisa que você não tem a minima idéia do que é. O post terminava com algo sobre a dificuldade de salvar os arquivos do computador após tal problema. Ou seja: posso ter perdido 80 gigas de MP3, mas espero que Lili não tenha perdido seu acervo de fotos.

Dedos cruzados: estamos vivendo uma tragédia moderna. E eu sei: deviamos ter tudo isso em HDs externos. :/

Setembro 15, 2009   6 Comments

Você amarela na frente de uma mulher? Não?

Os Buchas, Episódio 1.1

Setembro 15, 2009   2 Comments

Quem precisa pensar sobre tamanhas bobagens

Eric Lax

“O Richard Schickel (escritor e há muito tempo crítico da revista Time) escreveu um ensaio muito bom a meu respeito, dizendo que em determinado ponto o público me abandonava. E achei que foi a única coisa que ele errou. Fui eu que abandonei o meu público; ele não me abandonou. O meu público era muito bom, e, se eu continuasse a cumprir com a minha parte do contrato, ele não demonstraria nenhum sinal de querer me abandonar e ser algo mais do que uma boa platéia afetiva. Eu é que tomei um rumo diferente, e uma boa parcela desse público ficou incomodada, se sentiu traída. Não gostaram quando fiz “Interiores” e “Memórias”. Um crítico disse que “Interiores” foi um ato de má-fé. Achei que foi uma reação exagerada. Tentei fazer um filme específico, e se não funcionou, não funcionou. Respeito plenamente as opiniões das pessoas para quem não funcionou. Mas não foi feito com má-fé.

Depois, “Memórias” decepcionou as pessoas, e ao longo dos anos o público ficou mais e mais incomodado comigo, sem saber direito como seria o meu próximo filme, e menos seguro de que iria gostar. Muita gente ainda acha que os meus melhores filmes ficam pela época de “Annie Hall” e “Manhattan”, mas mesmo que esses filmes ocupem um lugar caloroso em seu coração - o que me deixa muito satisfeito - estão errados. Filmes como “Maridos e Esposas”, “A Rosa Púrpura do Cairo”, “Tiros na Broadway”, “Zelig” e até mesmo “Um Misterioso Assassinato em Manhattan” e “Poucas e Boas” são muito superiores. Claro, isso é questão de opinião, mas eu tenho a minha, assim como os outros têm as deles.

Agora, é verdade que depois de alguns filmes eu parei de pensar em popularidade e no público, ou no que escreviam sobre os meus filmes, mas não por arrogância, nem algum sentimento de superioridade. Só porque essa parte do processo - a chamada gratificação - não estava me deixando feliz, nem satisfeito. As pessoas muitas vezes tomam erroneamente a minha timidez por indiferença, mas não é.  Eu precisava de um centro espiritual e, sendo ateu, isso é difícil de encontrar. Então experimentei uma sensação de apatia em relação ao sucesso ou fracasso, e, é triste dizer, em relação à vida em geral. Tanto o sucesso quanto o fracasso provaram não significar muito para mim do jeito que pensei que fossem significar quando comecei. Nenhum dos dois contribui para a solução dos verdadeiros problemas da vida.

O lado bom de ser, como dizem os meus amigos, “imune à crítica”, é ser incapaz de gozar o prazer que um sucesso retumbante traz. Isso não quer dizer que eu deteste dinheiro, mas, resumidamente, apesar de toda a bajulação do mundo, a gente continua incomodamente finito (encolhe os ombros, depois ri).  Então, como eu estava dizendo, a minha timidez e a minha inabilidade em afastar a nuvem negra que vem com a incapacidade de lidar com a realidade fazem as pessoas pensarem que sou distante e inatingível, mas não sou nem um pouco alheio, nem recluso - que é outra descrição nada exata de mim. Por outro lado, não quer dizer que eu não concordaria com boa parte da crítica mais severa ao meu trabalho se ouvisse críticas. Tenho um olhar muito crítico sobre o meu trabalho e o de outras pessoas. Antes eu lia a meu respeito, mas parei de vez, porque é uma perda de tempo, não ajuda em nada o absurdo de ler que você é um gênio cômico ou que tem má-fé. Quem precisa pensar sobre tamanhas bobagens?”

Woody Allen em um dos melhores trechos do livro (aqui) de Eric Lax.

Leia também:
- “Match Point”, de Woody Allen, por Marcelo Costa (aqui)
- Os filmes prediletos de Woody Allen em todos os tempos (aqui)
- A cinematografia de Woody Allen de 0 a 10, por Marcelo Costa (aqui)

Setembro 15, 2009   5 Comments

Era um garoto que como eu amava os…

Rolling Stone #36

A nova edição da Rolling Stone está nas bancas com Beatles na capa. Por enquanto, li só a ótima entrevista com a Céu, feita pelo chapa Paulo Terron, com um dos pontos altos indo para a pergunta: “Várias pessoas me disseram que ‘Vagarosa’ (disco novo da cantora) é um ‘disco de maconheiro’. É?”. E Céu manda na gargalhada: “Ó o cara querendo me pegar aqui”. Além tem resenha minha de um dos discos do ano, “Uhuuu!”, do Cidadão Instigado.

E já que falamos em Beatles, alguém te avisou que a bíblia, ou melhor, a biografia do Bob Spitz, de 982 páginas, está em promoção no Submarino por R$ 49,90? Aqui. E para pararmos um pouco com o blá blá blá Beatles, que tal irmos de Stones? Sai dia 03 de novembro, nos EUA, a edição quádrupla de “Get Yer Ya-Ya’s Out!”, o disco ao vivo dos Stones gravado no Madison Square Garden em 1969 . Veja o tracking list aqui. São cinco faixas bônus e um CD extra apenas com os shows de abertura de B.B. King e Ike & Tina Turner mais um DVD de raridades do show.

Get Yer Ya-Ya’s Out! The Rolling Stones In Concert 40th Anniversar

Setembro 15, 2009   8 Comments

Duas novidades vindas de Curitiba

“Nova Onda Caipira”, do Charme Chulo

O Charme Chulo colocou no My Space a integra de seu aguardado segundo álbum. Com o nome de “Nova Onda Caipira”, o álbum marca um aprofundamento da banda na sonoridade caipira e destaca faixas como “Moda do Acerto”, “Fala Comigo, Barbabé” e “De Hoje Não Passa”. Ouça as músicas novas no http://www.myspace.com/charmechulo.

“Uma Vela Para o Oceano”, do Nuvens

O Nuvens, do ex-Poléxia Raphael Moraes, colocou seu novo single, “Uma Vela Para o Oceano”, para download gratuito no site oficial da banda. Junto ao novo single a banda disponibiliza um EP acústico que, entre outras canções, destaca uma versão para “O Velho e a Flor” de Vinícius de Moraes, Toquinho e Bacalov. Baixe aqui: http://nuvens.net/

Setembro 14, 2009   2 Comments

Dois momentos de genialidade de Roger Federer

Em 2001/2002 editei durante mais de um ano o site Esportes-E, então parceria do Banco do Brasil com a Zip.Net, que passou para responsabilidade do UOL quando estou comprou o portal. Foi um bom tempo em que acompanhei as notícias de todos os atletas patrocinados pelo banco, como Gustavo Kuerten, então no auge (em 2001, e começando a cair em 2002). Não tinha como não se apaixonar por tênis vendo o Guga jogar.

A parceria do UOL com o BB acabou, me desliguei dos dois e segui a vida deixando de acompanhar tênis como naqueles dias. Não lembro o motivo, mas voltei a ver alguns jogos no último mês culminando no título de Roger Federer em Cincinatti sobre Novak Djokovic, uma partida fácil com alguns momentos de genialidade. Claro, nada comparado ao penúltimo ponto do suíço contra Djokovic na semifinal do US Open, no domingo, um daqueles momentos absurdos de genialidade.

O segundo vídeo é de uma outra partida, em que Andy Roddick arremessa sua raquete em Federer, na brincadeira, após uma jogada fenomenal do suíço, que conseguiu alcançar uma bola praticamente indefensável e foi além: a devolveu com uma curva sensacional matando o ponto de forma espetacular. O vídeo fala por si só. Enquanto isso, neste momento, Roger Federer caminha para vencer mais uma vez o US Open seguindo firme como o número 1 do mundo.

Ps. Hehe, sequei o Roger Federer sem querer. Postei no momento em que o suíço dominava o segundo set da final do US Open. Do nada, após um desafio de Del Potro em que realmente a bola tinha beslicado a linha, Federer desmontou emocionalmente e o argentino virou o segundo set em 7 a 6 no tiebreak. No fim, o argentino interrompeu o terceiro grand slam seguido no ano de Roger Federer e o que seria o sexto título consecutivo do US Open vencendo o quinto set por 6 a 2 após mais de quatro horas de jogo. O que não quer dizer que os vídeos abaixo deixem de ser sensacionais… hehe

Roger Federer contra Novak Djokovic

Clique na imagem para assistir

Roger Federer contra Andy Roddick

Clique na imagem para assistir

Setembro 14, 2009   4 Comments

Receita de Sopa Parisiense de Cebola

Sopa de Cebola

No Top Ten de Pratos que pedi para Lili fazer de nossa viagem para a Europa (postado aqui), surpreendeu uma inocente sopa de cebola tomar o primeiro lugar. E olha que ela era apenas a entrada de um almoço em uma brasserie simplezinha perto do Fórum Les Halles chamada L’Entrecote Des Halles (Rue Saint Denis, 38) . Como nem só de caldo verde vivem os dias frios, resolvi experimentar uma sopa de cebola. E não é que existe mesmo uma variação parisiense?

A primeira tentativa, no meio da semana, foi aprovada pela Lili, mas ficou um pouco salgada. Culpa das torradinhas de cebola que comprei. Elas precisam ser torradas normais, ok. A receita pedia vinho branco seco, mas apostei no vinho tinto carmenere, e gostei. Essa foto acima já é da segunda tentativa, quase acertada, do sábado à noite. Faltou ficar mais uns cinco ou dez minutos no fogo, para engrossar. Mesmo assim ficou ótima, diz Lili. Receita abaixo.

Ingredientes

- 4 cebolas grandes cortadas em rodelas
- 4 colheres (sopa) de manteiga
- 4 colheres (sopa) de farinha de trigo
- 5 xícaras (chá) de caldo de carne
- 1/2 colher (chá) de sal
- 1 pitada de pimenta-do-reino
- 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco
- 8 fatias de pão francês tostadas
- 8 fatias de queijo tipo suíço

Preparo

Frite as cebolas na manteiga em uma panela sobre fogo médio. Mexa sem parar de 2 a 3 minutos até que dourem. Junte a farinha de trigo e cozinhe por 1 minuto.

Acrescente o caldo de carne, o vinho, o sal e a pimenta-do-reino. Aqueça ao ponto de fervura. Abaixe o fogo e cozinhe lentamente em panela parcialmente tampada por meia hora. Aqueça o forno.

Coloque a sopa em 4 cumbucas refratárias e deposite-as em uma assadeira. Coloque 2 fatias de pão em cada uma delas e cubra com 2 fatias de queijo. Leve ao forno quente e asse até o queijo derreter.

Sirva imediatamente, colocando as cumbucas sobre pratinhos individuais.

Rendimento: 4 porções

Sopa de Cebola

Leia também:
- Receita de Caldo Verde (aqui)

Setembro 14, 2009   2 Comments

Edições especiais do Radiohead

radiohead.jpg

Chegaram na sexta-feira aqui em casa os três volumes que faltavam da série “Collectors Edition”, do Radiohead. No primeiro pacote lançado em janeiro vieram os três primeiros álbuns (”Pablo Honey”, “The Bends” e “Ok Computer” - veja aqui). Agora é a vez de “Kid A”, “Amnesiac” e “Hail To The Thief” baixarem nas lojas em belíssimas edições de luxo. Agora só fica faltando “I Might Be Wrong - Live Recordings” do catálogo da Parlaphone, já que “In Rainbows” foi lançado pela própria banda.

“Kid A” ganhou um segundo CD imperdível (com 13 registros ao vivo, 12 deles inéditos em programas como no Evening Session, da BBC Radio 1, no Lamacq Live in Concert e no Canal + Studios, em Paris) e um DVD que poderia ser dispensável, se os três vídeos da banda tocando “The National Anthen” (com direito a um septeto de metais - assista aqui), “Morning Bell” e “Idioteque” ao vivo no Jools Holland não fossem fenomenais.

“Amnesiac” ressurge na capa de pano vermelha da edição de luxo, mas dentro traz o encarte com a capa original e um segundo CD com todos os b-sides dos singles “Pyramid Song”e “Knives Out” mais seis registros inéditos ao vivo nos estúdios do Canal +, em Paris. O DVD aqui é caprichado com 47 minutos de duração que compilam quatro clipes do álbum, dois registros no Top of The Pops e mais quatro números da mesma sessão matadora no Jools Holland (a integra aqui).

Fechando o pacote, “Hail To The Thief” aposenta no segundo CD a ótima coletânea japonesa “Com Lag” (escrevi dela aqui) com suas dez faixas presentes aqui e acrescenta uma demo de “There There” mais “Go To Sleep” ao vivo no programa de  Zane Lowe e “Sail To The Moon” em registro na BBC Radio1. O bom DVD junta quatro clipes do álbum, quatro registros vivo no Jools Holland (incluindo “There There” - assista aqui) mais “2+2= 5″ ao vivo em Earls Court. E um poster da edição especial.

Com estas seis edições “Collectors Edition”, a Parlaphone raspa o tacho de tudo que o Radiohead lançou quando em contrato com o selo. Estão aqui todos os b-sides da banda entre 1992 e 2003, todos os videoclipes oficiais, o registro ao vivo de um show inteiro no Astoria em 1994, o registro em áudio de um show inteiro no Canal +, de Paris, em 2001, mais 16 vídeos ao vivo no Jools Holland entre 1995 e 2003 mais apresentações no Top of The Pops, no 2 Meter Session (assista “Fake Plastic Trees” aqui e “High and Dry” aqui) e outras coisas perdidas. Material de primeirissima qualidade. Abaixo, o tracking list de cada um dos CDs.

Kid A
Disc: 1
1. Everything In Its Right Place
2. Kid A
3. The National Anthem
4. How To Disappear Completely
5. Treefingers
6. Optimistic
7. In Limbo
8. Idioteque
9. Morning Bell
10. Motion Picture Soundtrack

Disc: 2
1. Everything In Its Right Place
2. How To Disappear Completely
3. Idioteque
4. The National Anthem
5. Optimistic (Lamacq Live In Concert)
6. Morning Bell (Live At Canal+ Studios, Paris)
7. The National Anthem (Live At Canal+ Studios, Paris)
8. How To Disappear Completely (Live At Canal+ Studios, Paris)
9. In Limbo (Live At Canal+ Studios, Paris)
10. Idioteque (Live At Canal+ Studios, Paris)
11. Everything In Its Right Place (Live At Canal+ Studios, Paris)
12. Motion Picture Soundtrack (Live At Canal+ Studios, Paris)
13. True Love Waits (Live In Oslo - I Might Be Wrong)

Disc: 3 - DVD
1. The National Anthem (Live On Later With Jools Holland)
2. Morning Bell (Live On Later With Jools Holland)
3. Idioteque (Live On Later With Jools Holland)

Amnesiac
Disc: 1
1. Packt Like Sardines In A Crushed Tin Box
2. Pyramid Song
3. Pulk/Pull Revolving Doors
4. You And Whose Army?
5. I Might Be Wrong
6. Knives Out
7. Morning Bell/Amnesiac
8. Dollars & Cents
9. Hunting Bears
10. Like Spinning Plates
11. Life In A Glasshouse

Disc: 2
1. The Amazing Sounds Of Orgy
2. Trans-Atlantic Drawl
3. Fast-Track
4. Kinetic
5. Worrywort
6. Fog
7. Cuttooth
8. Life In A Glasshouse (Full Length Version)
9. You And Whose Army? (Live At Canal+ Studios, Paris)
10. Packt Like Sardines In A Crushed Tin Box (Live At Canal+ Studios)
11. Dollars & Cents (Live At Canal+ Studios, Paris)
12. I Might Be Wrong (Live At Canal+ Studios, Paris)
13. Knives Out (Live At Canal+ Studios, Paris)
14. Pyramid Song (Live At Canal+ Studios, Paris)
15. Like Spinning Plates (Live In Oslo - I Might Be Wrong)

Disc: 3 - DVD
1. Pyramid Song [Videoclipe]
2. Knives Out [Videoclipe]
3. I Might Be Wrong [Videoclipe]
4. Push Pulk/Spinning Plates [Videoclipe]
5. Pyramid Song (Live on Top Of The Pops)
6. Knives Out (Live on Top Of The Pops)
7. Packt Like Sardines In A Crushed Tin Box (Live On Jools Holland)
8. Knives Out (Live On Later With Jools Holland - 09/06/01)
9. Life In A Glasshouse (Live On Later With Jools Holland - 09/06/01)
10. I Might Be Wrong (Live On Later With Jools Holland - 09/06/01)

Hail To The Thief
Disc: 1
1. 2 + 2 = 5
2. Sit Down. Stand Up
3. Sail To The Moon
4. Backdrifts
5. Go To Sleep
6. Where I End And You Begin
7. We Suck Young Blood
8. The Gloaming
9. There, There
10. I Will
11. A Punch Up At A Wedding
12. Myxomatosis
13. Scatterbrain
14. A Wolf At The Door

Disc: 2
1. Paperbag Writer
2. Where Bluebirds Fly
3. I Am Citizen Insane
4. Fog (Again) (Live)
5. Gagging Order
6. I Am A Wicked Child
7. Remyxomatosis (Cristian Vogel RMX)
8. There There (First Demo)
9. Skttrbrain (Four Tet Remix)
10. I Will (Los Angeles Version)
11. Sail To The Moon (BBC Radio 1’s Jo Whiley’s Live Lounge - 28/05/03)
12. 2 + 2 = 5 (Live At Earls Court)
13. Go To Sleep (Zane Lowe - 08/12/03)

Disc: 3 - DVD
1. There, There [Videoclipe]
2. Go To Sleep [Videoclipe]
3. 2 + 2 = 5 [Videoclipe]
4. Sit Down Stand Up [Videoclipe]
5. 2 + 2 = 5 (Live At Belfort Festival)
6. There, There (Later With Jools Holland - 27/05/03)
7. Go To Sleep (Later With Jools Holland - 27/05/03)
8. 2 + 2 = 5 (Later With Jools Holland - 27/05/03)
9. Where I End And You Begin (Later With Jools Holland - 27/05/03)

Leia também:
- Os três primeiros do Radiohead em edições remasterizadas (aqui)

Setembro 13, 2009   15 Comments